PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Caos nas estradas da Espanha após uma das maiores nevascas em décadas

8.jan.2021 - Pior nevasca dos últimos 50 anos atinge Madri e causou um grande caos nas estradas. - OSCAR DEL POZO/AFP
8.jan.2021 - Pior nevasca dos últimos 50 anos atinge Madri e causou um grande caos nas estradas. Imagem: OSCAR DEL POZO/AFP

08/01/2021 20h09

Pelo segundo dia consecutivo, grande parte da Espanha estava nesta sexta-feira (8) coberta de neve devido à tempestade Filomena, que provocou a pior nevasca em Madri em 50 anos e causou um grande caos nas estradas.

Com mais da metade do país em alerta alto por neve nesta sexta e sábado, a agência meteorológica AEMET descreveu a situação como "excepcional" e "provavelmente histórica".

Diante de uma nevasca sem sinais de redução, o aeroporto de Barajas, na capital espanhola, interrompeu todas as partidas e chegadas de voos.

"Por motivos de segurança, as operações do #Aeroporto AS #Madrid-#Barajas foram paralisadas, até a visibilidade melhorar. O trabalho de limpeza da pista prossegue para recuperar o funcionamento o mais rápido possível", tuitou a Aena, que administra os aeroportos.

Chuvas mais intensas foram registradas nas regiões de Castela-La Mancha (centro), Valencia (leste) e Madri, onde ocorreu a maior nevasca desde 1971, segundo a televisão pública.

A neve caiu intensamente durante horas, e continuava caindo às 21h GMT (18h de Brasília), o que obrigou o bloqueio dos dois principais anéis viários da capital, o M30 e o M40, e o decreto de alerta vermelho no centro da cidade, onde a polícia tentava ajudar veículos e pessoas presas.

A neve perturbou a circulação em cerca de 400 estradas, segundo a autoridade do transporte. Em Cuenca (centro), por volta de 300 caminhoneiros ficaram bloqueados e passaram a madrugada de quinta para sexta-feira em um estacionamento.

Na rede de estradas secundárias, mais de 50 estavam intransitáveis e em cerca de 170 era preciso usar correntes nos pneus.

No entanto, o dia deixou imagens memoráveis. Em Madri, as crianças jogavam bolas de neve ou brincavam sob palmeiras cobertas de gelo, enquanto outros retratavam o raro episódio que começou pouco depois da festa da Epifania, quando os Reis Magos entregam às crianças espanholas os presentes de Natal.

A AEMET havia alertado que ainda cairiam em média outros vinte centímetros de neve em Madri e no planalto do centro do país, chegando a meio metro nas áreas de maior altitude.

O serviço de trem entre Madri e a cidade de Valencia também foi suspenso, informou o gestor ferroviário Renfe.

A prefeitura da histórica cidade de Toledo, assim como a de Albacete, pediram ajuda do Exército para retirar a neve acumulada.

As previsões meteorológicas indicam que a tempestade Filomena se deslocará para o nordeste no domingo, o que implica uma diminuição da nevasca mesmo que as temperaturas continuem excepcionalmente baixas.

O termômetro caiu tanto que registrou um recorde nacional - não oficial - de -34,1°C a mais de 2.000 metros de altitude na quarta-feira na estação meteorológica privada de Clot da Llança, nos Pirineus.

Internacional