PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Assembleia Geral da ONU confirma segundo mandato de Antonio Guterres

No cargo desde 2017, Guterres prestou juramento com a promessa de agir com independência dos Estados-membros - Michael Sohn/Pool/AFP
No cargo desde 2017, Guterres prestou juramento com a promessa de agir com independência dos Estados-membros Imagem: Michael Sohn/Pool/AFP

Em Nova York (EUA)

18/06/2021 13h37Atualizada em 18/06/2021 13h42

A Assembleia Geral da ONU aprovou um novo mandato do ex-primeiro-ministro português Antonio Guterres à frente da organização para o período 2022-2026.

No cargo desde 2017, Guterres prestou juramento com a promessa de agir com independência dos Estados-membros e organizações, durante uma cerimônia que contou com a presença do presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa.

"Nosso maior desafio, que é ao mesmo tempo nossa maior oportunidade, é usar esta crise para mudar o rumo para um mundo que aprenda lições, promova uma recuperação justa, verde e sustentável e mostre o caminho de uma cooperação internacional eficaz para abordar os problemas globais", disse Guterres.

"Este passo significará um esforço real para fortalecer o que funciona e ter a coragem de aprender as lições do que não funciona", acrescentou.

O ex-primeiro-ministro português foi o único candidato para o novo mandato. Outras 10 pessoas buscaram o cargo, mas suas candidaturas não foram formalizadas por não contarem com o apoio de nenhum dos 193 países que integram a ONU.

Durante seu primeiro mandato, Guterres foi obrigado a se concentrar em limitar os potenciais danos da política externa unilateral e afastada das alianças impulsionada pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

No que diz respeito à pandemia, Guterres alertou contra os estragos do coronavírus e os perigos que ameaçam o mundo pela crise de saúde, apesar de ter pouca margem de manobra, já que os países optaram por travar batalhas individuais contra a covid-19 em detrimento de um esforço coletivo.

Além disso, Guterres fez do combate ao aquecimento global uma de suas prioridades, mas também não obteve muitas conquistas neste aspecto.

Internacional