PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Vacina russa Sputnik V protege contra todas as variantes da covid, diz seu criador

Diretor do centro Gamaleia, que desenvolveu a vacina Sputnik V, afirmou que as duas doses do imunizante "protegem contra todas as variantes atualmente conhecidas" - Amanda Perobelli/Reuters
Diretor do centro Gamaleia, que desenvolveu a vacina Sputnik V, afirmou que as duas doses do imunizante "protegem contra todas as variantes atualmente conhecidas" Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

21/06/2021 11h36Atualizada em 21/06/2021 12h24

A vacina russa Sputnik V protege contra "todas as variantes conhecidas" do coronavírus, incluindo a contagiosa Delta, responsável por uma virulenta onda de covid-19 na Rússia, defendeu seu criador, Alexandre Guintsbourg, nesta segunda-feira (21).

O diretor do centro Gamaleia que desenvolveu a vacina Sputnik V, Alexandre Guintsbourg, afirmou que as duas doses deste imunizante "protegem contra todas as variantes atualmente conhecidas, da britânica até a variante Delta, que surgiu na Índia".

Essa cepa, considerada mais contagiosa, está por trás de 90% dos novos casos registrados em Moscou, segundo seu prefeito Serguéi Sobianin.

A capital é o epicentro da segunda onda do vírus na Rússia e bateu recordes diários de infecções desde o início da pandemia.

As declarações de Guintsbourg buscam impulsionar a frustrada campanha de vacinação na Rússia, que enfrenta a desconfiança e relutância de sua população.

Despois de prometer um sorteio de um carro entre quem tomar a primeira dose, o prefeito de Moscou anunciou na semana passada que imporia a vacinação obrigatória para os trabalhadores do setor de serviços.

Por sua vez, São Petersburgo, a segunda cidade do país também exposta a um forte aumento de casos, anunciou que pretende vacinar 65% dos funcionários locais até agosto.

A Rússia é o país com mais mortes por covid-19 na Europa, com 129.801 óbitos segundo o governo, balanço que a agência de estatística Rosstat eleva para 270.000 desde o início da pandemia.

Coronavírus