PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
9 meses

Rússia proíbe oficialmente as organizações de Navalny e condena seu irmão a 1 ano de prisão

Arquivo - A decisão ocorre após meses de repressão da oposição russa, marcada pelo envio de Alexei Navalny a uma colônia penitenciária - Sefa Karacan / Agência Anadolu via Getty Images
Arquivo - A decisão ocorre após meses de repressão da oposição russa, marcada pelo envio de Alexei Navalny a uma colônia penitenciária Imagem: Sefa Karacan / Agência Anadolu via Getty Images

Em Moscou

06/08/2021 12h55

As organizações do opositor russo preso Alexei Navalny, designadas como "extremistas" pela Justiça russa em junho, foram incluídas oficialmente na lista de organizações proibidas no país, hoje, dia em que o irmão de Navalny foi condenado a um ano de prisão.

Segundo a lista, publicada hoje no site do ministério da Justiça russo, o Fundo Contra a Corrupção (FBK) de Navalny e seus escritórios regionais estão agora proibidos, assim como já estavam os movimentos das Testemunhas de Jeová, do Partido Nacional Bolchevique russo e do grupo religioso Nobre Ordem do Diabo.

O FBK é conhecido pelas suas investigações sobre o estilo de vida e o desvio de dinheiro das elites russas, enquanto os escritórios regionais de Navalny organizam protestos e campanhas eleitorais.

Em junho, um tribunal de Moscou classificou essas organizações como "extremistas", ao considerar que "espalham deliberadamente informações que incitam o ódio e a hostilidade contra funcionários do governo" e que também cometiam "crimes extremistas".

A decisão ocorre após meses de repressão da oposição russa, marcada pelo envio de Alexei Navalny a uma colônia penitenciária, assim como o exílio de vários líderes de seu movimento e de medidas contra a imprensa independente e outras vozes críticas.

Em julho, o órgão russo de controle da Internet, o Roskomnadzor, anunciou que deseja bloquear as contas das redes sociais vinculadas a Navalny, das quais várias dezenas já estão suspensas.

Além disso, um tribunal russo condenou nesta sexta-feira o irmão do opositor Alexei Navalny a um ano de prisão sob sursis por seu suposto papel na organização de manifestações durante a pandemia da covid-19.

Oleg Navalny, de 38 anos, foi acusado, juntamente com outros militantes da oposição, de ter convocado os russos a se manifestarem em apoio a Alexei Navalny. O opositor foi preso ao voltar para a Rússia, em janeiro, procedente da Alemanha. Lá, Navaly foi tratado para se recuperar de um envenenamento, pelo qual acusa o Kremlin.

O tribunal de Preobrakhenski, em Moscou, considerou Oleg culpado de incitamento à violação das normas sanitárias, as quais proibiam reuniões, devido à covid-19.

Ele foi "sentenciado a um ano de prisão com sursis", disse seu advogado Nikos Paraskevov no Twitter.

Outro aliado de Navalny, Nikolai Liaskin, foi condenado nesta sexta-feira a um ano de restrição em seus deslocamentos pelos mesmos motivos. Ficará proibido de sair de casa entre 22h e 6h, assim como de participar de manifestações e sair de Moscou.

Na terça-feira, um parente de Navalny, Liobov Sobol, foi o primeiro a ser condenado por este "caso de saúde".

Outros aliados do opositor também devem ser acusados, incluindo seu porta-voz, Kira Iarmych, o coordenador de sua equipe em Moscou, Oleg Stepanov, e Anastasia Vasilieva, chefe de um sindicato de médicos ligado à oposição.

Os aliados do dissidente denunciam que essas medidas estão destinadas a prejudicar a atividade da oposição antes das eleições legislativas de setembro, com o pano de fundo da crescente impopularidade do partido governante Rússia Unida.

As eleições ocorrerão em três dias devido à pandemia de coronavírus, de 17 a 19 de setembro.

Internacional