PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
4 meses

Bombardeio a prisão no Iêmen deixa mais de 100 pessoas entre mortos e feridos

21.jan.2022 - Um ataque aéreo destruiu uma prisão no reduto rebelde huthi de Saada, no norte do Iêmen, deixando muitos mortos ou feridos - CENTRO DE MÍDIA ANSARULLAH / AFP
21.jan.2022 - Um ataque aéreo destruiu uma prisão no reduto rebelde huthi de Saada, no norte do Iêmen, deixando muitos mortos ou feridos Imagem: CENTRO DE MÍDIA ANSARULLAH / AFP

Da AFP

21/01/2022 07h57Atualizada em 21/01/2022 10h59

Um ataque aéreo contra uma prisão na cidade de Saada, bastião dos rebeldes huthis no norte do Iêmen, deixou mais de 100 mortos e feridos — afirmaram os insurgentes e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha nesta sexta-feira (21), acrescentando que o número de vítimas está aumentando.

"Há mais de 100 pessoas entre mortos e feridos (...) o saldo está aumentando", disse Bachir Omar, porta-voz do CICV no Iêmen, citando dados do hospital. "Um centro de detenção foi atacado em Saada, e uma equipe do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) está no terreno para determinar o número de mortos e feridos", completou.

Os insurgentes divulgaram um vídeo, mostrando prédios bombardeados e membros das equipes de resgate retirando corpos dos escombros.

A coalizão liderada pela Arábia Saudita que combate os rebeldes não reivindicou a autoria do ataque a Saada.

Ontem à noite, a coalizão atacou a cidade de Hodeidah, no Iêmen, controlada pelos rebeldes, causando um problema de telecomunicações que deixou o país sem Internet — comprovaram a organização de vigilância da Internet NetBlocks e jornalistas da AFP nesta sexta.

A NetBlocks registrou uma "interrupção da conexão à Internet em todo país" após o atentado. Correspondentes da AFP nas cidades de Hodeida e Sanaa confirmaram esta informação.

Internacional