PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

EUA oferecem recompensa de R$ 50 mi por hackers responsáveis por ataque na Costa Rica

Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden - Brendan Smialowski/AFP
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden Imagem: Brendan Smialowski/AFP

06/05/2022 21h43

Washington, 7 Maio 2022 (AFP) - Os Estados Unidos ofereceram, nesta sexta-feira (6), até 10 milhões de dólares por informações sobre o grupo de hackers Conti, vinculado à Rússia e acusado de realizar um ataque na Costa Rica no mês passado.

O Departamento de Estado disse que entregará recompensas de até 10 milhões de dólares por informação que identifique ou localize os líderes do grupo de hackers, e até 5 milhões por dados que levem a alguma prisão ou condenação.

O FBI estima que os sequestradores de dados (ransomware) do grupo Conti deixaram mais de mil vítimas até janeiro, com pagamentos de mais de 150 milhões de dólares.

Os pagamentos fazem com que a "variante de ransomware de Conti seja a cepa mais cara jamais documentada", disse o Departamento de Estado.

"Ao oferecer esta recompensa, os Estados Unidos demonstram o seu compromisso com a proteção às vítimas potenciais de ransomware ao redor do mundo da exploração dos crimes cibernéticos", acrescentou.

O Departamento de Estado indicou que a suposta orquestração de Conti, no mês passado, com seu ataque às instituições do governo de Costa Rica obstaculizou gravemente os processos de impostos e alfândega governamental.

Pouco se sabe publicamente da liderança do grupo Conti, mas um vazamento incomum em fevereiro deu algumas pistas.

Ao que parece, o vazamento chegou graças ao apoio declarado de Conti à invasão russa da Ucrânia, pois uma pessoa publicou mensagens internas do grupo junto com tweets a favor da Ucrânia.

As conclusões dos analistas que revisaram os documentos incluíram que Conti tem escritórios físicos na Rússia.

Washington, 7 Mai 2022 (AFP) - Os Estados Unidos ofereceram, nesta sexta-feira (6), até 10 milhões de dólares por informações sobre o grupo de hackers Conti, vinculado à Rússia e acusado de realizar um ataque na Costa Rica no mês passado.

O Departamento de Estado disse que entregará recompensas de até 10 milhões de dólares por informação que identifique ou localize os líderes do grupo de hackers, e até 5 milhões por dados que levem a alguma prisão ou condenação.

O FBI estima que os sequestradores de dados (ransomware) do grupo Conti deixaram mais de mil vítimas até janeiro, com pagamentos de mais de 150 milhões de dólares.

Os pagamentos fazem com que a "variante de ransomware de Conti seja a cepa mais cara jamais documentada", disse o Departamento de Estado.

"Ao oferecer esta recompensa, os Estados Unidos demonstram o seu compromisso com a proteção às vítimas potenciais de ransomware ao redor do mundo da exploração dos crimes cibernéticos", acrescentou.

O Departamento de Estado indicou que a suposta orquestração de Conti, no mês passado, com seu ataque às instituições do governo de Costa Rica obstaculizou gravemente os processos de impostos e alfândega governamental.

Pouco se sabe publicamente da liderança do grupo Conti, mas um vazamento incomum em fevereiro deu algumas pistas.

Ao que parece, o vazamento chegou graças ao apoio declarado de Conti à invasão russa da Ucrânia, pois uma pessoa publicou mensagens internas do grupo junto com tweets a favor da Ucrânia.

As conclusões dos analistas que revisaram os documentos incluíram que Conti tem escritórios físicos na Rússia.

Internacional