PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
1 mês

EUA reabrem embaixada em Kiev, segundo Departamento de Estado

AFP, Washington

19/05/2022 05h58

Os Estados Unidos reabriram ontem sua embaixada em Kiev, após um fechamento de três meses devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, informou o Departamento de Estado.

"O povo ucraniano, com nossa assistência em segurança, defendeu sua pátria contra a invasão inconcebível da Rússia e, como resultado, a bandeira dos Estados Unidos está novamente tremulando na embaixada", declarou em comunicado o secretário de Estado, Antony Blinken.

"Com orgulho, estamos com o governo e o povo da Ucrânia, e seguimos apoiando-os enquanto defendem o seu país da brutal guerra de agressão do Kremlin", acrescentou.

Na noite de quarta-feira, o Senado americano também confirmou Bridget Brink, oficial de carreira da diplomacia, como a nova embaixadora na Ucrânia.

Desde 2019, quando o ex-presidente Donald Trump removeu a embaixadora Marie Yovanovitch de seu cargo, o governo dos Estados Unidos não tinha um representante permanente confirmado pelo Senado.

Yovanovitch seria posteriormente uma testemunha-chave no primeiro julgamento de impeachment de Trump, que teve como tema a relutância do republicano a respeito da ajuda militar à Ucrânia.

O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, o democrata Bob Menéndez, afirmou que está "orgulhoso por liderar a rápida confirmação (de Brink) pelo Senado".

Bridget Brink foi nomeada há apenas algumas semanas pelo presidente Joe Biden.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

O Departamento de Estado fechou a embaixada em Kiev em 14 de fevereiro, 10 dias antes de as tropas russas cruzarem a fronteira em um esforço há muito esperado para derrubar o governo ucraniano e instalar outro pró-Moscou.

Nos três meses de fechamento em Kiev, os diplomatas americanos continuaram oferecendo seus serviços em Lviv, no oeste da Ucrânia, e passando algumas noites na vizinha Polônia por motivos de segurança.

O retorno a Kiev acontece semanas depois que as forças ucranianas derrotaram os esforços russos para assumir o controle do norte da Ucrânia e da capital, e que a guerra passou a se concentrar no leste e no sul do país.

"Ao darmos este passo crucial, implementamos medidas adicionais para aumentar a segurança de nossos colegas que estão retornando a Kiev e melhoramos nossas medidas e protocolos de segurança", disse Blinken.