PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Caças do 'Fantasma de Kiev' são abatidos, e Ucrânia perde arma superpotente

Caças MIG-29 são exibidos em show de aviação nos arredores de Moscou - Kirill kudryavtsev/AFP
Caças MIG-29 são exibidos em show de aviação nos arredores de Moscou Imagem: Kirill kudryavtsev/AFP

Vinícius de Oliveira

Colaboração para o UOL

19/05/2022 04h00Atualizada em 19/05/2022 14h33

O Ministério da Defesa da Rússia anunciou que seus sistemas de defesa aérea abateram alguns caças MiG-29, além de seis helicópteros usados pela Ucrânia no combate no leste europeu.

Chamados de Fulcrum, codinome dado pela Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), os caças são considerados a principal linha de defesa aérea ucraniana.

Eles começaram a ser testados na década de 1970 e fabricados na década de 1980 pela empresa russa Mikoyan-Gurevich, que leva o nome de seus dois fundadores, Artem Mikoyan e Mikhail Gurevich, e se mantêm operacionais até os dias de hoje na Força Aérea russa e em países para os quais foram exportados, como a Ucrânia.

A versão mais recente do MiG-29 tem capacidade para até seis mísseis de médio alcance ou oito de curto alcance, além de um canhão de 30mm que faz até 150 disparos.

De acordo com as especificações técnicas, a aeronave tem alcance bélico de 1.430 km e pode voar a uma altura máxima de 18.013 metros.

O caça mede 17,3 metros de comprimento e 4,4 metros de altura. Sua envergadura é 12 metros e ele alcança até 2.400 km/h. A velocidade de cruzeiro é de até 1.500 km/h, segundo site da AirForce Technology.

Apesar do alto custo de manutenção, a Ucrânia possui versões do Fulcrum produzidas localmente, como a MiG-29MU1 e MiG-29MU2.

Estes "upgrades" incorporam alguns sistemas de navegação e sensores ucranianos, como o infravermelho GRAM e sistemas de comunicação ocidentais.

Segundo a Federação dos Cientistas Americanos (FAS), o MiG-29 tem poder igual ou superior ao F-15 Eagle, das Forças Armadas Americanas, no combate a curta distância e em manobras em velocidades lentas.

Os testes foram realizados por pilotos alemães e americanos.

O 'Fantasma de Kiev'

Esse modelo de caça é o mesmo que apareceu em um vídeo decolando do aeródromo ucraniano depois que a Rússia alegou ter destruído por completo todos os aviões de combate ucranianos, no início da invasão ao país vizinho.

O MiG-29 virou, naquele momento, a primeira evidência de que a Ucrânia possuía aviões para combater.

Logo em seguida, surgiu a lenda do "Fantasma de Kiev", um piloto ucraniano com habilidades "sobrenaturais" que teria usado um MiG-29 para tirar de combate 6 ou 40 aeronaves russas nos primeiros dias de guerra —os relatos variam.

O apelido "Ghost" (fantasma, em inglês) seria uma referência ao jogo DCS (Digital Combat Simulator), que simula um combate aéreo. Kiev é a capital da Ucrânia, que resiste à invasão russa.

De acordo com o jornal alemão DW, o "Fantasma de Kiev" é uma lenda de guerra, embora não se saiba se baseada em fatos reais.

Oleksandr Oksanchenko, 53, coronel da reserva do exército ucraniano e piloto, Stepan Tarabalka, major de 29 anos, foram apontados como o às da aviação. Ambos morreram em combate.

Mas militares disseram ser praticamente impossível que um único piloto abatesse dezenas de aeronaves inimigas. Além disso, várias das fotos divulgadas nas redes sociais como sendo supostamente do piloto responsável pelo ataque contra os russos foram adulteradas ou eram de registros de outras épocas.

Até o Comando da Força Aérea da Ucrânia anunciou no Facebook que o "Fantasma de Kiev é um super-herói lendário que foi criado pelos ucranianos!", destacando que não se deve "negligenciar as regras básicas de 'higiene da informação'" e "checar as fontes de informação antes de espalhar informações".

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado na primeira versão deste texto, o MiG-29 não é equipado com uma metralhadora, mas com um canhão de 30mm. Além disso, consegue portar até seis mísseis de médio alcance ou oito mísseis de curto alcance, e não apenas seis mísseis de curto alcance, como informado antes. Os caças também tiveram seus primeiros testes na década de 1970, mas só passaram a ser fabricados e comercializados na década de 1980.