Conteúdo publicado há 1 mês

Belga escapa de multa por embriaguez devido à produção de álcool pelo próprio corpo

Um homem de 40 anos que compareceu a um tribunal na Bélgica por dirigir embriagado repetidamente foi libertado nesta segunda-feira (22) depois de provar que sofre de uma síndrome muito rara conhecida como "síndrome da fermentação intestinal".

Sua advogada, Anse Ghesquiere, confirmou à AFP a informação publicada na imprensa belga.

Esta condição rara, também conhecida como síndrome da autofermentação, provoca a produção endógena de álcool pelo sistema digestivo quando são consumidos alimentos ricos em carboidratos, como pão, batata ou feijão.

Segundo a advogada, os cientistas consideram que se trata de uma síndrome subnotificada, uma vez que se conhecem oficialmente apenas cerca de 20 casos em todo o mundo.

O seu cliente, cuja identidade não foi revelada, conseguiu comprovar que era portador desta condição após a intervenção de três médicos no âmbito do procedimento judicial, afirmou.

O tribunal classificou a questão como "um caso de força maior".

"Estamos satisfeitos com esta decisão, mas ainda não é definitiva", disse Ghesquiere, especificando que a acusação pode recorrer.

O homem foi submetido ao teste do bafômetro em abril de 2022, quando foi registrada uma taxa de 0,91 mg por litro de ar expirado.

Um mês depois, foi submetido a outro exame que marcou 0,71 mg/l, enquanto o limite legal na Bélgica é de 0,22 mg/l.

Continua após a publicidade

O condutor, que já tinha sido condenado em 2019 a uma multa e à suspensão temporária da carteira de habilitação pelos mesmos motivos, declarou-se inocente, afirmando que não tinha consumido álcool. Aparentemente, ele desconhecia que sofria da síndrome.

Atualmente ele segue uma dieta especial com baixo teor de carboidratos, o que o ajuda a prevenir que a condição se desencadeie.

Deixe seu comentário

Só para assinantes