Conteúdo publicado há 19 dias

Candidato denuncia CNN nos EUA por exclusão do debate presidencial

O candidato à presidência dos Estados Unidos Robert F. Kennedy Jr. apresentou uma reclamação à Comissão Federal Eleitoral (FEC) acusando a rede de TV CNN de conluio com o presidente, Joe Biden, e o ex-mandatário Donald Trump para excluí-lo do primeiro debate televisionado das eleições de novembro.

Segundo a equipe de campanha do candidato independente, a CNN exigiu que Kennedy Jr. atendesse a padrões diferentes dos dois outros candidatos para o debate de 27 de junho.

Kennedy, descendente do clã político mais famoso dos Estado Unidos, não tem chance de ganhar em novembro, mas tanto os democratas quanto os republicanos se preocupam com a possibilidade de candidatos coringas influenciarem nos estados mais concorridos.

Os advogados de Kennedy apresentaram à Comissão Federal uma denúncia em que acusam a equipe de Biden de ter exigido ao canal que deixasse o candidato independente de fora do debate. Além disso, citaram informações de veículos locais que apontavam que Trump "recebeu garantias de que Kennedy seria excluído".

A denúncia de Kennedy pede que a FEC proíba os candidatos favoritos de "participarem do debate presidencial até que os partidos cumpram a lei federal de campanha eleitoral".

Biden e Trump aceitaram, este mês, participar do debate da CNN, em que os dois ficarão cara a cara pela primeira vez depois de quatro anos. O próximo será organizado pela ABC, em 10 de setembro.

A equipe de Kennedy, que faz campanha em sete estados, disse que a "CNN esta admitindo os presidentes Biden e Trump no debate sem exigir que eles cumpram os critérios do processo eleitoral, enquanto insiste em que Kennedy os cumpra".

A CNN não respondeu de imediado ao contato feito pela AFP. A rede de notícias exige que os candidatos obtenham mais de 15% em quatro pesquisas antes de 20 de junho, mas Kennedy só alcançou essa porcentagem em três delas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes