PUBLICIDADE
Topo

Manifestantes fecham ferrovia da Vale em MG após tragédia de Mariana

Integrantes do movimento SOS Vale do Rio Doce bloqueiam trilhos dos trens de minério da Vale, em Governador Valadares (MG) - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Integrantes do movimento SOS Vale do Rio Doce bloqueiam trilhos dos trens de minério da Vale, em Governador Valadares (MG) Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

De Governador Valadares

12/11/2015 18h12

Manifestantes realizam um protesto na tarde desta quinta-feira (12), na ferrovia da Vale em Governador Valadares, a 450 quilômetros de Belo Horizonte. Eles queimaram pneus sobre a linha férrea que transporta minérios da companhia e também funciona para viagens diárias de passageiros entre Vitória e Belo Horizonte. A Polícia Militar de Minas faz cerco no local.

Os moradores de Governador Valadares protestam contra a interrupção no fornecimento de água na cidade, que tem 296 mil habitantes. O município suspendeu a captação no Rio Doce após a lama de rejeitos proveniente do rompimento de barragens em Mariana (MG) chegar à região. A estrutura era da mineradora Samarco, que tem a Vale como uma das donas.

Em cima de pneus e com uma bandeira do Brasil amarrada nas costas, o radialista Ricardo Pedrosa, 38, empunhava um microfone e fazia sua voz ecoar pelas proximidades. "As chamas são velas do velório do Rio Doce. Hoje, água aqui virou ouro", disse.

Pedrosa afirmou que o movimento convocado pelas redes sociais começou às 14 horas, após a passagem do trem de passageiros, e não tem hora para terminar. "O que aconteceu foi um crime ambiental.

Enquanto não tiver água não vamos deixar o trem passar", disse o radialista.

A causa ganhou apoio de moradores vizinhos à linha férrea, que reforçavam o pedido pela retomada do abastecimento interrompido desde a segunda-feira (9).

 

Notícias