PUBLICIDADE
Topo

Morre 4ª vítima da explosão em fábrica da Heineken

Sindicato dos trabalhadores na alimentação fez protesto em frente à fábrica da Heineken - Nilton Cardin/Folhapress
Sindicato dos trabalhadores na alimentação fez protesto em frente à fábrica da Heineken Imagem: Nilton Cardin/Folhapress

Em Sorocaba

31/01/2016 13h24

Morreu na noite deste sábado (30), a 4ª vítima da explosão numa caldeira da cervejaria Heineken, ocorrida na quinta-feira (28), em Jacareí, interior de São Paulo. O trabalhador Aparecido Agostinho, de 52 anos, havia sido transferido para o hospital Albert Einstein, de São Paulo, com 90% do corpo com queimaduras, e não resistiu à gravidade dos ferimentos.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Alimentação de Jacareí, o operário era irmão de Altamiro Agostinho, que também morreu na explosão. O acidente aconteceu durante a manutenção da caldeira, que funcionava a gás e vapor, por trabalhadores terceirizados da Heineken. Dois deles morreram na hora. A terceira vítima, Rodrigo Silva Azevedo, de 30 anos, morreu no fim da tarde de sexta-feira. Um quinto trabalhador ficou ferido, mas já recebeu alta.

De acordo com o sindicato, as operações na fábrica continuam suspensas e só serão retomadas após a checagem das condições de segurança. A Heineken informou que colabora na investigação do acidente e presta apoio às famílias das vítimas.