Sozinha, a Justiça não resolve, alerta Moro

São Paulo - O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações penais da Operação Lava Jato, afirmou nesta terça-feira, 29, em São Paulo, que a Justiça, sozinha, não consegue resolver o problema da corrupção. Durante Simpósio na Procuradoria Regional da República, o magistrado citou o apoio da opinião pública na Operação Mãos Limpas, deflagrada na Itália, na década de 1990.

"Falando sobre a Operação Mãos Limpas, constatado que aquele esquema criminoso múltiplo um caso envolvendo uma empresa, joint venture, teria havido propina a agentes políticos e a partidos políticos na venda de ações superfaturadas dessa joint venture. Esse caso teve o apoio da opinião pública maciço no início e isso durou cerca de 2 anos. A partir do que houve uma certa reação do sistema político", afirmou o juiz.

Participaram do encontro Piercamillo Davigo, magistrado italiano integrante da força-tarefa Mãos Limpas, o procurador de Justiça do Paraná, Rodrigo Chemim, e o procurador da república integrante da Lava Jato, Paulo Roberto Galvão de Carvalho. Moro foi o quarto palestrante e falou sobre "Poder Judiciário e o combate à corrupção".

"A Justiça tem um papel nesses processos contra corrupção, papel relevante", afirmou. "Sozinha, ela não consegue resolver o problema. Precisa que outras instituições operem, que a sociedade se mobilize para cobrar, as empresas privadas precisam se auto-organizar para evitar pagamentos de corrupção", enfatizou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos