Processo de impeachment

Reale Jr. lamenta que impeachment tenha servido para homenagear torturador

Em Brasília

Um dos autores do impeachment, o jurista Miguel Reale Jr. inaugurou a sessão da comissão especial dedicada a fala dos denunciantes nesta quinta-feira (28) no Senado. Reale começou o seu discurso criticando o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que durante a sessão de autorização do impeachment, na Câmara, homenageou o coronel Brilhante Ustra, reconhecido pela Justiça como um torturador durante a Ditadura Militar.

"Lamento que esse pedido de impeachment tenha servido como oportunidade para que se homenageasse um torturador", disse o jurista.

Reale Jr. relembrou a dor daqueles que padeceram e sobreviveram durante o regime militar e relembrou que presidiu, entre 1995 e 2001, a Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos, encarregada de examinar responsabilidades do Estado.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos