Processo de impeachment

Para Miguel Reale Júnior, 'conjunto de provas conspira contra Dilma'

Em São Paulo

  • Alan Marques/Folhapress

    O jurista Miguel Reale Jr., um dos autores do pedido de impeachment de Dilma

    O jurista Miguel Reale Jr., um dos autores do pedido de impeachment de Dilma

Miguel Reale Júnior, um dos autores do processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, diz acredita que o afastamento da petista é irreversível e está sustentado em provas de toda natureza. Na visão dele, o "conjunto de provas conspira contra" Dilma Rousseff.

"Sejam as provas testemunhais, as provas documentais, e a prova pericial, que foi tão exigida pela acusada, e que veio frontalmente contra a presidente Dilma", afirmou Reale em entrevista concedida à rádio Jovem Pan, na manhã desta terça-feira (9). A data marca a sessão de pronúncia do processo de impeachment de Dilma Rousseff, na qual a maioria simples dos senadores estabelece a continuidade do processo contra a presidente afastada.

Reale destacou que foi autorizada a convocação de até seis testemunhas de cada parte, mas a acusação contra Dilma arrolará apenas "duas ou três" testemunhas. "Não serão as testemunhas ouvidas em plenário que vão modificar o mérito da questão. O fato está comprovado materialmente", complementou.

O jurista voltou a rebater os argumentos da defesa de Dilma Rousseff e acusou a presidente de "maquiar" as contas públicas. "A prova está contundente da demonstração do maior desrespeito fiscal, da ocultação dos números, da situação financeira do país perante o Congresso Nacional e a sociedade", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos