Anibal: seu governo não existe mais e daqui a pouco não existirá mais seu mandato

Brasília - O senador tucano José Anibal afirmou, ao usar o seu espaço para questionar a presidente Dilma Rousseff durante a sessão de julgamento do impeachment, que não estava aqui no Senado para julgar a presidente. "Seria penoso para mim, mas vou julgar o conjunto de sua obra que tanto sofrimento impõe ao Brasil", disse.

O tucano, que foi o 24º senador inscrito para perguntar a Dilma, disse que o governo da petista não existe mais e que ela está prestes a perder seu mandato. "Seu governo não existe mais e daqui a pouco não existirá mais seu mandato", disse.

Anibal destacou que o governo do presidente em exercício Michel Temer vai recuperar as contas públicas e trabalhar pela retomada do crescimento. Ele disse ainda que Dilma "tornou-se especialista em terceirizar as responsabilidades". "A senhora não teve humildade de reconhecer seus mais graves erros", afirmou, completando que ela tem a consciência de que não tem mais "a mínima condição de voltar a governar."

Antes de Anibal, o senador petista Paulo Paim (RS), 23º parlamentar a questionar a Dilma, usou seu tempo para destacar os programas sociais do programa do PT. Ele disse ainda que os opositores não aceitam o fato de a presidente ter feito tanto pelos brasileiros. "O que eles não aceitam é que a senhora entrará para a história como uma das filhas mais dignas desta nação", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos