Associações de jornalismo protestam contra agressão de PMs a fotógrafos

São Paulo

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) protestaram nesta sexta-feira, 26, contra as agressões da Polícia Militar aos fotógrafos André Coelho, do jornal "O Globo", e Joedson Alves, da agência "EFE", nos protestos em Brasília contrários ao governo de Michel Temer, na última quarta-feira, 24.

As associações reforçam, em nota conjunta, que "os profissionais estavam cumprindo sua missão jornalística, devidamente identificados, e nada fizeram que justifique a violência da Polícia Militar". Denunciam, ainda, que a agressão é um "flagrante o despreparo dos policiais em relação ao trabalho jornalístico em manifestações como a de quarta-feira" e lamentam que "episódios como esse têm acontecido com frequência".

A nota, que disse que o cerceamento dos jornalistas agride, também, o direito dos cidadãos de serem informados, cobra investigação por parte das autoridades e punição aos responsáveis pelas agressões. "É inadmissível que jornalistas sejam agredidos e tenham sua integridade física ameaçada no exercício da atividade de reportar a realidade à sociedade brasileira", afirmaram.

As agressões contra Coelho foram registradas em fotos feitas por Alves. O policial chegou a atirar em direção aos pés do fotógrafo do "Globo". Segundo publicação desta Sexta-feira do jornal carioca, Coelho informou ao policial que era jornalista, mas nem assim cessaram as agressões. Após perceber que Alves fotografava, o policial deu um tapa na câmera dele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos