PUBLICIDADE
Topo

PM paulista detém suspeitos em onda de ataques com agulha em São Carlos

Rene Moreira, especial para a AE

São Carlos

23/11/2018 12h20

Uma onda de ataques com agulhas vem assustando os moradores de São Carlos (SP). Relatos se multiplicam e nesta semana três pessoas tiveram de ser medicadas e receber um coquetel antirretroviral devido aos ferimentos. Dois suspeitos foram presos na cidade na tarde desta quinta-feira, 22.

Um deles foi flagrado na Rua Miguel Petroni, no Jardim Bandeirantes, onde uma pessoa havia sido picada dois dias antes. Ele não portava agulha, mas foi reconhecido por uma testemunha. Levado à delegacia, foi registrada ocorrência de lesão corporal e o suspeito liberado.

Ele negou ter atacado as pessoas com agulha e será ouvido de novo durante inquérito. "Não houve flagrante", explicou o capitão da PM Paulo Roberto Nucci Júnior sobre a liberação do suspeito após depoimento.

O outro suspeito foi detido na Avenida Doutor Teixeira de Barros, na Vila Prado, onde teria tentado ferir um policial aposentado que estava com o carro parado no semáforo. Como a vítima não compareceu para o reconhecimento, ele também acabou liberado. E assim como o outro detido, negou ser o "maníaco da agulha", como vem sendo chamado o autor dos ataques.

Outra vítima de ataques, um motociclista de 19 anos, foi ferido perto do campus da USP. Ele diz que o agressor seria pedinte e após lhe dar dinheiro sentiu uma picada na mão e notou um furo ao chegar em casa. Diante disso e com medo de ter contraído alguma doença, ele procurou atendimento médico.

Socorro

A Santa Casa de São Carlos confirmou ter atendido três pessoas vítimas de "objeto desconhecido perfurocortante". Elas foram medicadas e encaminhadas para o Centro de Atendimento de Infecções Crônicas visando dar continuidade ao tratamento.