Topo

Bolsonaro agradece a Maia e Alcolumbre por aprovação de posse de arma no campo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL)  -  Walterson Rosa 10.dez.18/Folhapress
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) Imagem: Walterson Rosa 10.dez.18/Folhapress

Mateus Vargas e Mariana Haubert

Brasília

19/09/2019 21h03

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) agradeceu aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), pela aprovação de projeto que permite a posse estendida de arma de fogo em áreas rurais, sancionado na terça-feira, 17.

"Meus parabéns ao Rodrigo Maia. Parabéns ao Alcolumbre. Foram bastante solícitos nessa questão. Foi por um placar bastante elástico a aprovação", disse Bolsonaro.

O presidente pediu para quem tiver dificuldade para comprar arma "ligar para gente". "A gente vai procurar saber se tem alguém atrapalhando a compra dessa arma e vai tomar providencias", disse.

A nova regra, que havia sido aprovada pelo Congresso em agosto, permite carregar a arma por toda a propriedade, e não apenas na sede do imóvel rural, como era previsto pela legislação até agora. É a primeira norma pró-armas aprovada no Congresso desde o início da gestão de Bolsonaro, que tem esse tema como uma das suas principais bandeiras desde a eleição de 2018.

As declarações do presidente foram feitas em transmissão semanal nas redes sociais, ao lado do diretor do Departamento de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Miguel Ivan Lacerda.

Redução da Selic

O presidente afirmou que a redução da Selic, a taxa básica de juros, foi uma "boa notícia" e mostra que o País "vai restabelecendo a sua confiança". "Brasil está fazendo seu dever de casa", disse.

Na quarta-feira, 18, o Copom do Banco Central decidiu, por unanimidade, reduzir a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 6,00% para 5,50% ao ano. Trata-se do segundo corte da taxa no atual ciclo, após período de 16 meses de estabilidade. Com isso, a Selic está agora em novo piso da série histórica do Copom, iniciada em junho de 1996.

Comércio

Bolsonaro comemorou aumento de 41% nas vendas online durante a Semana do Brasil. Na transmissão, o presidente comentou sobre elevação de 12% nas vendas "como um todo" durante a semana de promoções criada pelo governo federal em alusão ao Dia da Independência, celebrado em sete de setembro.

Trânsito

Bolsonaro reafirmou que se o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) "não se manifestar", o radar móvel não será usado em rodovias federais. O presidente ainda comentou que o governo trabalha para reduzir burocracias para retirada da carteira de motorista, como dispensa de provas com simulador.

Mais Política