PUBLICIDADE
Topo

Carlos Bolsonaro: Sumiço das redes sociais é aplaudido por empresários em evento

O vereador do Rio Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, em Brasília - Sergio Lima - 13.ago.18/AFP
O vereador do Rio Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, em Brasília Imagem: Sergio Lima - 13.ago.18/AFP

Francisco Carlos de Assis

São Paulo

12/11/2019 13h47

A notícia de que o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) saiu das redes sociais foi recebida hoje com aplausos pelas 470 pessoas que formam a plateia de representantes do mercado financeiro que participam do 14º Seminário Internacional da Acrefi (Siac Acrefi 2019). Os espectadores não só aplaudiram como se colocaram de pé, quando a mestre de cerimônia do evento, a jornalista Christiane Pelajo, interrompeu o palestrante professor e filósofo, Fernando Schuler, para dar a notícia.

A notícia foi passada à plateia no exato momento em que Schuler palestrava sobre o cenário político e falava das confusões e dificuldades de articulação política entre o Executivo e o Legislativo causadas pela atuação dos filhos do presidente da República, Jair Bolsonaro, nas redes sociais.

"Então vou dar uma notícia em primeira mão aos senhores. Carlos Bolsonaro anunciou hoje que deixou as redes sociais, por pelo menos um mês", disse a jornalista, levantando a plateia e arrancando aplausos.

O tema das redes sociais do presidente e de seus filhos foi também objeto de citação da estrategista para países emergentes do JPMorgan, Emy Shayo. Durante sua palestra ela brincou e disse que a duração de suas previsões econômicas duraria até o próximo tuíte do presidente Bolsonaro.

O caso

O UOL apurou que nenhuma das plataformas tomou medidas contra as contas do vereador. A iniciativa, portanto, teria sido do próprio Carlos Bolsonaro.

Ainda não é possível saber, no entanto, se o vereador excluiu ou suspendeu temporariamente os perfis das redes sociais.

Quem entra nas páginas do vereador encontra mensagens dizendo que as contas não existem ou que podem ter sido removidas.

O PSC, partido de Carlos Bolsonaro, se referiu ao caso dizendo que o vereador apagou os perfis. "O PSC não tem nada a dizer sobre o fato de o vereador Carlos Bolsonaro ter apagado suas contas das redes sociais", disse o partido em nota.

Também por meio de nota, o Twitter informou que nenhuma medida foi tomada em relação à conta do vereador. Na plataforma, é possível desativar a conta temporariamente por 30 dias. Ao reativá-la após esse período, o usuário não perde nenhuma das publicações.

A reportagem apurou que Facebook e Instagram também não tomaram nenhuma ação contra as contas de Carlos Bolsonaro nas plataformas. Nessas redes sociais, é possível desativar uma conta por tempo indeterminado sem excluí-la. O usuário pode voltar a utilizar a conta quando quiser, sem perder dados e fotos.

Política