PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Com uma das taxas de vacinação mais elevadas da Europa, Portugal volta a impor restrições

Pessoas aguardam na fila para receber dose de vacina contra a covid-19 em Lisboa, Portugal - Patricia de Melo Moreira/AFP
Pessoas aguardam na fila para receber dose de vacina contra a covid-19 em Lisboa, Portugal Imagem: Patricia de Melo Moreira/AFP

Sofia Aguiar, em São Paulo

01/12/2021 12h23

Portugal entrou hoje em estado de calamidade, pela segunda vez este ano, para conter a tendência de aumento dos casos de coronavírus, apesar de ter uma das taxas de vacinação mais elevadas da Europa. O estado de calamidade está um nível abaixo do estado máximo de alerta do país.

O controle de passageiros em aeroportos, portos e fronteiras terrestres será fortalecido e, a partir de hoje, grande parte dos que entram no país terá que apresentar teste negativo para o coronavírus, detalha a Associated Press. A máscara voltou a ser obrigatória em espaços fechados e para a entrada em restaurantes, cinemas, ginásios e hotéis é necessária a apresentação do certificado de vacinação.

As novas imposições globais contra a doença acontecem à medida que os países registram casos da nova variante Ômicron, identificada pela primeira vez na África do Sul. Segundo a Yonhap News Agency, a Coreia do Sul confirmou seus primeiros casos de infecção pela cepa nesta quarta-feira. Um casal de 40 anos que mora em Incheon, a oeste de Seul, e seu amigo testaram positivo para a variante em testes de sequenciamento genético, anunciou a Agência de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia (KDCA). Segundo informações, o casal está totalmente vacinado e visitou a Nigéria de 14 a 23 de novembro.

Autoridades de saúde realizaram os testes em quatro pessoas, incluindo o filho do casal, depois de detectar as infecções. O resultado do filho deve ser anunciado amanhã. Os testes foram realizados em três outros suspeitos de estarem infectados com a cepa e os resultados serão divulgados por volta de sábado (4), de acordo com a KDCA.

Internacional