Conteúdo publicado há 6 meses

Rodrigo Pacheco diz que uso da Abin para 'perseguição política é gravíssimo'

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse nesta sexta-feira, 20, que o "uso de uma instituição de Estado para esta finalidade de perseguição política é alvo gravíssimo que deve ser exemplarmente reprimido".

Pacheco comentou a operação da Polícia Federal contra integrantes da Agência Brasileira de Informação (Abin), que apura possível uso de um software de espionagem para monitorar jornalistas, políticos e advogados.

"Tive informações da operação apenas pela imprensa, não tenho mais nenhum elemento em relação a isso. Acho que o trabalho da Justiça deve ser um trabalho independente, igualmente o da polícia de investigação. Pelos indícios apresentados, do uso de uma instituição de Estado para esta finalidade de perseguição política, é algo gravíssimo que deve ser exemplarmente reprimido", disse Pacheco em entrevista coletiva à imprensa.

Segundo a PF, o sistema, adquirido durante o governo de Michel Temer, teria sido utilizado pela Abin para monitorar essas pessoas de forma ilegal. A operação da Polícia Federal foi deflagrada nesta sexta-feira. Os policiais cumprem 25 mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva em São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Goiás e Distrito Federal.

Deixe seu comentário

Só para assinantes