Anac autoriza operação de voos comerciais na base aérea de Canoas (RS)

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação de voos comerciais, de passageiros e cargas, na base aérea de Canoas (Rio Grande do Sul). O objetivo é oferecer uma alternativa aeroportuária para a região metropolitana de Porto Alegre enquanto o Aeroporto Internacional Salgado Filho permanece fechado, sem previsão de retomada, por conta dos danos causados pela crise climática.

A decisão, tomada em reunião deliberativa extraordinária da Anac na sexta-feira, 19, será oficializada em publicação no Diário Oficial. A proposta de resolução foi aprovada por unanimidade.

A operação da base aérea de Canoas será feita pela Fraport, concessionária responsável pela gestão do Salgado Filho, durante período de calamidade pública resultante de eventos climáticos, segundo o diretor-presidente da Anac, Tiago Sousa Pereira. Ele destacou que a companhia manifestou interesse e tem a expertise necessária.

"O Ministério de Portos e Aeroportos solicitou à agência as providências cabíveis para viabilização da operação de Canoas para garantir a conectividade da região e oferta de serviços aéreos para população na região metropolitana de Porto Alegre", afirmou Pereira.

Órgãos consultados pela Anac deram parecer favorável à resolução diante do "cenário de excepcionalidade e necessidade de uma resolução célere". A Superintendência de Infraestrutura Aeroportuária (SIA), por exemplo, concluiu que a gestão do risco de forma conjunta entre a concessionária, operadores aéreos e autoridade militar trazem a robustez necessária para que a base de Canoas seja aberta para operação civil de aeronaves.

No dia 14, a Anac determinou a suspensão imediata da venda de passagens aéreas para o Aeroporto Salgado Filho. A autarquia afirmou que a situação do aeroporto só poderá ser analisada após a diminuição do volume de água no terminal e da avaliação dos danos ocorridos.

A Fraport reforçou que, no momento, não há uma estimativa de data para a retomada das operações no terminal atingido pelas enchentes que afetam o Estado desde o final do último mês.