'El Chapo' quer acordo com EUA para aceitar extradição

Na Cidade do México (México)

  • Cortesia de Sean Penn

    18.jan.2015 - Sean Penn com Joaquín Archivaldo Guzmán Loera, ou El Chapo

    18.jan.2015 - Sean Penn com Joaquín Archivaldo Guzmán Loera, ou El Chapo

O narcotraficante mexicano Joaquín Guzmán Loera, conhecido como "El Chapo", está disposto a não apresentar recurso contra o pedido de extradição aos Estados Unidos se conseguir um acordo com a Justiça norte-americana, informou seu advogado.   

"Joaquín não teme enfrentar a Justiça" dos EUA, e um acordo "seria uma opção para resolver o problema", apontou José Refugio Rodriguez.   

O magistrado ainda disse que ele pode admitir culpabilidade, com o objetivo de diminuição de pena.   

Na última sexta-feira, a chancelaria mexicana concedeu a extradição do líder do Cartel de Sinaloa, que deve ser processado por dois tribunais na Califórnia e no Texas por tráfico de drogas, crime organizado, lavagem de dinheiro e homicídio, entre outros crimes.   

Caso não obtenha um acordo, os advogados de El Chapo podem apresentar um recurso na Justiça, o que atrasaria toda a operação de extradição em pelo menos alguns anos.

Histórico

Líder do cartel de Sinaloa, El Chapo é considerado um dos maiores traficantes do mundo. Ele foi recapturado no início de janeiro pela polícia mexicana. As autoridades teriam conseguido localizá-lo devido a um encontro do ex-traficante com o ator Sean Penn para uma entrevista.

Altas medidas de segurança foram impostas após ele escapar de uma prisão de segurança máxima em 15 de julho do ano passado. Na ocasião, ele usou um túnel de 1,5 km que ligava o banheiro de sua cela até o outro lado dos muros do presídio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos