Presidente filipino volta a provocar EUA em acordo militar

HANOI, 29 SET (ANSA) - O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou que encerrará a parceria com os Estados Unidos de exercícios militares conjuntos. O mandatário fez o comunicado ontem à noite, em Hanoi, capital do Vietnã, explicando que manterá a aliança militar com os Estados Unidos do tratado de defesa assinado entre os dois países em 1951, mas que os exercícios militares da próxima semana serão os últimos. Duterte afirmou que não cancelará os exercícios agendados somente para não causar inconvenientes para seu secretário de Defesa. De acordo com o presidente, o encerramento das atividades militares ocorrerá porque as Filipinas querem assinar acordos econômicos e comerciais com a Rússia e a China, mas Pequim desaprova a relação do país com os EUA.   

Duterte foi eleito em maio de 2016 e, desde então, já fez outras provocações aos Estados Unidos, xingando o presidente Barack Obama de "filho da puta" e mandando a União Europeia "se foder".   

Além disso, o filipino adotou uma política de tolerância zero contra traficantes, a qual já provocou a morte de 2 mil pessoas em execuções extrajudiciais. Em outro discurso, Duterte também ameaçou "comer vivos" os terroristas que atuam nas Filipinas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos