Schiaparelli caiu por 'erro de cálculo' em altura, diz ESA

ROMA, 23 NOV (ANSA) - Novos dados da Agência Espacial Europeia (ESA) revelaram que o módulo Schiaparelli caiu no solo de Marte a 3,7 km de altura, no dia 19 de outubro. Os novos detalhes da ESA supõem quais foram os erros da missão. O principal motivo do acidente deve-se a uma falha durante a medida de distância do Schiaparelli durante o pouso. A interpretação errada de sua altura fez com que o módulo se precipitasse ao início do procedimento de pouso. De acordo com os cientistas, apesar do radar altímetro doppler do módulo ter funcionado normalmente, o dispositivo de medida inercial (IMU - Inertial Measurement Unit), que registra a velocidade de rotação do veículo, começou a enviar um sinal saturado, isto é, o valor máximo da escala. Esse problema ocorreu logo depois da abertura do paraquedas e o sinal anormal durou cerca de um segundo - mais do que o esperado pelos cientistas. Com isso, o sistema de navegação deduziu que a altitude de Schiaparelli fosse negativa, ou seja, que o módulo estivesse abaixo da superfície marciana. Foi nesse momento que o pouso começou a dar errado e resultou na queda. A reconstrução do acidente de Schiaparelli, feita por computador, representa ainda uma "conclusão muito preliminar das nossas suposições técnicas", disse o diretor de Robótica da ESA, David Parker. Parker ainda explica que, para ter um quadro mais completo, é preciso esperar até os primeiros meses de 2017. Isso porque será publicado um artigo "de uma comissão de investigação independente em fase de constituição, requerida pelo diretor general da ESA e que será coordenada pelo Inspetor General da ESA". No entanto, os responsáveis da missão Schiaparelli mantém o otimismo. "Nós aprendemos muitas coisas com o Schiaparelli que contribuirão diretamente com a segunda missão ExoMars, que está sendo desenvolvida com os nossos parceiros internacionais e tem um lançamento previsto para 2020", enfatiza Parker. Com a mesma visão, complementa Roberto Battiston, presidente da Agência Espacial Italiana (ASI). "ExoMars é extremamente importante para a ciência e exploração europeia. Agora, junto com nossos parceiros norte-americanos do programa, trabalharemos para o sucesso da segunda missão", disse o italiano. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos