Depois de Neymar, Justiça pede 10 anos de prisão para Eto'o

ROMA, 25 NOV (ANSA) - O Ministério Público espanhol (MP) solicitou a prisão do atacante Samuel Eto'o por 10 anos nesta quinta-feira (24) por supostos crimes fiscais cometidos entre 2006 e 2009, período em que jogava no Barcelona. De acordo com o jornal "El País", o jogador teria armado um esquema com seu empresário na época, José Maria Mesalles, para conseguir pagar menos impostos por seus direitos de imagem.   


Eto'o teria sonegado cerca de 3,5 milhões de euros (aproximadamente R$12,5 milhões) A justiça alega que Eto'o teria utilizado duas empresas para gerir seus rendimentos, que deveriam ter sido tributados como rendimentos de capital em suas declarações de imposto de renda, mas que o jogador não declarou.   


A procuradoria numerou os valores fraudados durante os quatro anos em 504 mil euros, 1.283 milhão de euros, 1.138 milhão de euros e 946.9 mil euros, respectivamente, e pediu a condenação do jogador e de seu empresário por 10 anos e meio de prisão, além do pagamento de uma multa de até 14 milhões de euros.   


O jogador camaronês de 35 anos chegou a acusar o empresário de manejar seu dinheiro sem consentimento, enquanto Mesalles tem afirmado que Eto'o estava ciente de todas as movimentações realizadas. Eto'o, que atua no Antalyaspor, da Turquia, não é o único a ser indiciado por fraude fiscal. Na última quarta-feira (23), a Procuradoria da Audiência Nacional da Espanha pediu uma pena de dois anos para o atacante brasileiro Neymar por corrupção nos contratos que levaram a sua aquisição pelo Barcelona. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos