Itália ordena prisão de 55 empregados 'fantasma' de hospital

ROMA, 24 FEV (ANSA) - A Procuradoria da República em Nápoles ordenou a prisão domiciliar de 55 funcionários do hospital Loreto Mare nesta sexta-feira (24) sob a acusação de fraudes no trabalho. Segundo a investigação, os funcionários iam ao hospital, batiam o ponto, mas não ficavam para o expediente.   

As ordens de prisão foram emitidas contra um neurologista, um ginecologista, nove técnicos em radiologia, 18 enfermeiros, seis empregados da administração, nove técnicos de manutenção e 11 operadores sócio-sanitários. Mas, ao todo, 94 pessoas são investigadas pelos crimes.   

Para flagrar os profissionais, foram utilizadas as câmaras de gravação interna da estrutura nos últimos dois anos. Por horas e horas, médicos, enfermeiros e operadores foram monitoradas pelos administradores do hospital e pela polícia.   

Entre os casos denunciados, está o caso de um funcionário que bateu o ponto e foi trabalhar como chef de cozinha em um hotel.   

Já um médico foi flagrado saindo do trabalho para jogar tênis e ir na joalheria. Segundo os investigadores, há milhares de episódios semelhantes. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos