Premier italiano comemora resultados da 'Declaração de Roma'

ROMA, 26 MAR (ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, celebrou neste domingo (26) os resultados da "Declaração de Roma", que reconhece a necessidade de implantar "diversos níveis de integração" na União Europeia.   

O documento foi assinado no último sábado (25), durante as celebrações pelos 60 anos dos Tratados de Roma, que fundaram o bloco, mas esperava-se um compromisso mais claro dos 27 Estados-membros (à exceção do Reino Unido) com a ideia de uma UE a "diferentes velocidades".   

No entanto, essa ideia encontrou bastante resistência em nações do leste, principalmente a Polônia, que temiam que os países mais ricos diminuíssem suas contribuições para Bruxelas. Isso fez com que o texto final ficasse mais brando.   

"A declaração é clara ao reconhecer a necessidade de prever diversos níveis de ambição na integração. O dogma da 'união cada vez mais estreita' não pode ser mais um álibi para alguém ficar parado", escreveu Gentiloni em sua página no Facebook.   

Reconhecendo que a Declaração de Roma não altera os tratados europeus, o primeiro-ministro acrescentou que o documento é tudo, menos "banal". "Foi assinado por todos os Estados, é exigente em muitos dos desafios que temos pela frente", disse.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos