Avanço do Estado Islâmico nas Filipinas deixa vários mortos

BANGCOC, 25 MAI (ANSA) - O avanço do Grupo Maute, uma facção ligada aos terroristas Estado Islâmico, na cidade de Marawi, nas Filipinas, deixou ao menos 21 mortos na região nesta quinta-feira (25) informou o governo de Manila.   

Para tentar controlar o caos na cidade, o governo anunciou a implementação da lei marcial em toda a ilha de Midanau, no sul das Filipinas, e as Forças Armadas do país tentam expulsar os extremistas do local.   

No entanto, apesar dos militares estarem na cidade, dezenas de católicos ainda são reféns do grupo e milhares de pessoas tentam fugir desesperadamente de Marawi, uma cidade de cerca de 200 mil habitantes.   

A ocupação dos jihadistas começou na última segunda-feira (22), quando dezenas de militantes do Maute invadiram hospitais, igrejas, escolas e até uma prisão. Em diversos pontos da cidade, bandeiras do Isis foram hasteadas.   

Tanto o Maute, como outras organizações extremistas, estão causando uma série de conflitos na região para tentar tirar o poder do presidente Rodrigo Duterte, conhecido por seu perfil "linha dura" contra grupos criminosos.   

- Casa Branca emite nota: Por conta da violência na região, a Casa Branca emitiu uma nota condenando as ações terroristas. No texto, os Estados Unidos "condenam a recente violência perpetrada por um grupo terrorista ligado ao Isis nas Filipinas" e informam que "continuarão a fornecer apoio e assistência aos esforços contra o terrorismo por parte do governo".   

"Estes vis terroristas mataram expoentes das forças de ordem e colocaram em risco a vida de cidadãos inocentes", finaliza o documento. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos