PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Em meio a caso do bebê Charlie, Papa pede 'defesa da vida'

30/06/2017 16h22

CIDADE DO VATICANO, 30 JUN (ANSA) - No mesmo dia no qual os aparelhos do pequeno Charlie, bebê britânico de 10 meses que sofre de uma doença genética rara e terminal, serão desligados, o papa Francisco fez um apelo para "defender a vida humana" mesmo quando esta enfrenta alguma doença. Em um discreto tweet, o Pontífice escreveu nesta sexta-feira, dia 30, que "defender a vida humana, principalmente quando ela está ferida por doenças, é um empenho do amor que Deus confia a cada homem". Mesmo não citando diretamente o caso do menino, a publicação de Jorge Mario Bergoglio faz claramente referência à história da criança. O desligamento dos aparelhos de Charlie foi anunciado nesta quinta-feira (29) pelos pais do menino, Connie Yates e Chris Gard, que acabaram perdendo uma batalha judicial na Corte Europeia de Direitos Humanos (CEDH) para manter o seu filho vivo. O casal pretendia transferir o bebê para os Estados Unidos, onde ele poderia fazer um tratamento experimental. Para isso, os dois até já haviam juntado cerca de 1,4 milhão de libras esterlinas de doações. No entanto, no começo do mês, juízes britânicos negaram o pedido dos pais de Charlie e afirmaram que as máquinas deveriam ser desligadas porque a criança supostamente estaria sofrendo muito.   

Yates e Gard recorreram da decisão, mas nesta semana a CEDH também foi contrária à vontade do casal. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional