PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Itália pode usar imóveis da máfia para moradores de ocupações

29/08/2017 17h37

ROMA, 29 AGO (ANSA) - O governo italiano está estudando entregar imóveis confiscados de grupos mafiosos para pessoas que estejam morando em ocupações e invasões irregulares no país. De acordo com fontes do governo, o ministro do Interior, Marco Minniti, está debatendo com seus colaboradores como fazer esse processo e quais serão as regras.   

Essa é uma das hipóteses para lidar com o problema das invasões em residências e prédios abandonados por inúmeras cidades do país. A ideia é também evitar uma das críticas mais recorrentes ao governo no passado sobre a falta de utilização desses imóveis espalhados pelo território.   

O projeto, que teria o apoio também do ministro da Justiça, Andrea Orlando, também inclui as análises de segurança dos locais onde estão esses prédios e compreende medidas para desocupar prédios invadidos. A ideia é contar com a colaboração das prefeituras para fazer a redistribuição das famílias.   

Recentemente, uma desocupação em Roma causou cenas de batalha em plena piazza Indipendenza, com mais de 100 imigrantes sendo retirados à força do prédio e da praça onde colocaram suas barracas.   

Pregando "tolerância zero" às invasões, a prefeita de Roma, Virginia Raggi, afirmou nesta terça-feira que o governo local já está fazendo um trabalho neste sentido.   

"Estamos definindo um mapeamento do patrimônio disponível e indisponível em Roma e dos bens confiscados da criminalidade. É o primeiro passo para valorizar eficazmente os imóveis da cidade", escreveu Raggi em seu Facebook.   

De acordo com dados da Prefeitura, cerca de 70 bens na capital tem essa proveniência. Alguns deles devem ser entregues para uso social e outros para virarem residências para pessoas que vivem em "fragilidade social". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional