Presidente da Itália concede graça a homem que matou mãe

MILÃO, 30 OUT (ANSA) - O presidente da Itália, Sergio Mattarella, concedeu graça a um homem que havia sido condenado a 18 anos e quatro meses de prisão por estrangular e matar a própria mãe em 1997.   

O procedimento foi firmado pelo chefe de Estado na última sexta-feira (27) e fala em "motivos humanitários" para dar clemência a Fabrizio Spreafico, que enfrenta uma grave doença desde 2005 e estava com a pena suspensa para poder se tratar.   

O réu já havia pedido a graça em outras ocasiões, todas depois de ter obtido o perdão da família de sua mãe, Luisa Pidi, assassinada quando tinha 51 anos. Spreafico havia sido condenado em 1999, mas cumpriu apenas oito anos de cadeia, incluindo o período anterior à sentença definitiva.   

Quando saiu da prisão para se tratar, em 2005, recebeu abrigo em uma congregação de padres em Roma, que lhe ofereceu um trabalho.   

O homicídio ocorreu na noite de 16 de setembro de 1997, em Trezzano sul Naviglio, nos arredores de Milão.   

A vítima, que ficara viúva dois anos antes, foi estrangulada com um cabo de eletricidade pelo filho, então com 23 e que logo confessou o crime. Os dois brigavam frequentemente por razões econômicas e se acusavam mutuamente de gastar de maneira irresponsável. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos