Saúde de Assange está em perigo, alertam médicos

ROMA, 25 JAN (ANSA) - O fundador do WikiLeaks, o australiano Julian Assange, está com problemas de saúde que o colocam em risco físico e mental, de acordo com um artigo médico divulgado hoje (25). Os médicos Sondra Crosby e Brock Chisholm examinaram Assange por mais de 20 horas, durante três dias, no último mês de outubro, e recomendam que o australiano deixe a embaixada do Equador em Londres e seja transferido para um hospital. A opinião dos especialistas foi divulgada hoje, em um artigo no jornal britânico "The Guardian". "Nós passamos recentemente 20 horas examinando Assange, durante três dias. Como os resultados são protegidos pela confidencialidade entre paciente e médicos, nossa opinião profissional é a de que o contínuo confinamento é perigoso para sua saúde física e mental", escreveram os especialistas.   

Assange vive na embaixada equatoriana em Londres há cerca de seis anos. Ele se refugiou no local com medo de ser extraditado aos Estados Unidos, onde pode ser processado e condenado por divulgar documentos secretos pelo WikiLeaks. Além disso, Assange foi acusado de abuso sexual por duas mulheres na Suécia. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos