Atirador de Liège teria matado outra pessoa antes de ataque

BRUXELAS, 30 MAI (ANSA) - O homem que matou ontem (29) dois policiais e um civil na cidade de Liège, na Bélgica, teria assassinado uma outra pessoa no dia anterior ao ataque, afirmou o ministro do Interior do país, Jan Jambon.   

De acordo com Jambon, o atirador, chamado Benjamin Herman, teria matado um ex-detento que ele conheceu enquanto estava na prisão.   

Herman, segundo a emissora "RTBF", foi solto no início da semana. Ele teria cumprido pena por crimes comuns e era conhecido por seus colegas na prisão por adotar comportamento "violento e solitário".   

Segundo a imprensa belga, o homem de 31 anos gritou "Allahu Akbar" ("Deus é grande"), frase usada por terroristas extremistas islâmicos. Além disso, ele poderia ter sido radicalizado durante o tempo que ficou preso.   

"Há sinais de que ele foi radicalizado na prisão, mas foi essa radicalização que o levou a cometer esses atos? Poderia ter sido porque ele não tinha nada para esperar, porque ele também matou alguém na noite anterior, a psicologia do sujeito e o fato que ele poderia estar drogado". disse Jambon.   

O ataque ocorreu no centro de Liège, nas proximidades de uma cafeteria. Segundo a Procuradoria, Herman "mirou em duas agentes e as agrediu pelas costas com uma arma branca". Depois, ele pegou a arma de uma das policiais e utilizou para assassiná-las.   

Em seguida, o homem atirou contra um jovem de 22 anos que estava no banco do carona de um carro e fez de refém uma mulher. No entanto, a polícia conseguiu intervir e matar o atirador.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos