PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Estados Unidos estão prontos a agir se Rússia invadir Ucrânia, diz secretário

Blinken destacou que os EUA e a Otan darão preferência para a via diplomática - John Macdougall/AFP
Blinken destacou que os EUA e a Otan darão preferência para a via diplomática Imagem: John Macdougall/AFP

Em Roma

01/12/2021 14h00

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, afirmou hoje que o país está pronto para agir se a Rússia invadir a Ucrânia.

A declaração foi dada após uma reunião ministerial da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) em Riga, na Letônia, país que também faz fronteira com o território russo.

"Se a Rússia invadir a Ucrânia, estaremos prontos a agir", garantiu Blinken, acrescentando que os EUA e a Otan darão preferência para a via diplomática.

O secretário de Estado também se disse "muito preocupado" com os planos de Moscou para a Ucrânia. "Não sabemos se Putin tomou a decisão de invadir, mas nós devemos estar preparados para tudo", ressaltou.

Por sua vez, a Rússia denunciou tentativas de "considerar a Rússia como participante" do conflito no leste ucraniano. "Mas não é assim. A guerra em Donbass só pode ser interrompida por negociações entre ucranianos e ucranianos", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Recentemente, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, denunciou os preparativos de um suposto golpe de Estado para 1º de dezembro, ação que teria o envolvimento de pessoas na Rússia.

O conflito na Bacia do Don se desenrola desde 2014, quando Donetsk e Lugansk, regiões de maioria étnica russa, se autoproclamaram repúblicas independentes na esteira da deposição do presidente Viktor Yanukovich. A Ucrânia acusa Moscou de apoiar os rebeldes militarmente, mas o Kremlin nega.

Internacional