'Cheguei ao limite': a última mensagem do explorador que morreu tentando cruzar Antártida sozinho

Nenhum lugar na Terra é tão hostil à vida humana.

Cruzar o gelado, vasto e perigoso continente antártico sempre será um desafio - sobretudo sozinho, sem suprimentos extras nem assistência.

O britânico Henry Worsley, de 55 anos, estava tentando algo que ninguém nunca conseguiu.



Mesmo esse veterano da Força Aérea britânica, experiente explorador polar, ficou doente e exausto.

E perto de seu destino final, teve que desistir. Em sua última mensagem, diz estar sem resistência "para deslizar um esqui na frente do outro para cobrir a distância que falta para atingir meu objetivo".

Após uma jornada de 1400 km, e a apenas 50 km do fim, ele chamou pelo resgate.

Levado a um hospital no Chile, médicos identificaram uma infecção abdominal, e Worsley morreu de falência total dos órgãos.

O objetivo do britânico era seguir os passos de sua maior referência, o explorador polar Ernest Shackleton (1874-1922), que tentou cruzar a Antártida, sem sucesso, há 100 anos.

Ele não conseguiu, mas alguns amigos, como os príncipes William e Harry, disseram que ele será inspiração, e também será lembrado por ter chegado tão perto de fazer história.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos