Mergulhador pode ter encontrado bomba atômica perdida durante busca por pepinos do mar

  • Royal Aviation Museum of Western Canada

    Réplica da arma nuclear perdida

    Réplica da arma nuclear perdida

Um mergulhador pode ter descoberto, por acidente, uma bomba nuclear perdida perto do arquipélago Haida Gwaii, na costa oeste do Canadá.

Sean Smyrichinsky estava mergulhando para procurar pepinos do mar quando encontrou um grande dispositivo de metal que, segundo ele, lembrava um disco voador.

O Departamento Canadense de Defesa Nacional (DND, na sigla em inglês) acredita que possa se tratar de uma "arma nuclear perdida" do avião bombardeiro americano B-36, que caiu na área em 1950.

O governo afirma não crê que a bomba contenha material nuclear - as autoridades estão enviando navios ao local para verificar o achado.

Smyrichinsky diz que encontrou o dispositivo ao mergulhar na costa da Ilha Pitt no início de outubro - a área fica próxima da fronteira da província canadense de Colúmbia Britânica com o Estado americano do Alasca.

Ele contou à BBC que o objeto era "maior do que uma cama king-size", plano no topo, com um fundo arredondado e um buraco no centro, "como um (pão) bagel".

"Encontrei algo muito estranho, acho que é um óvni", brincou Smyrichinsky com seus colegas ao voltar para a costa.

A área é remota, e o mergulhador conta que teve que esperar alguns dias antes de voltar à cidade e encontrar alguém que pudesse saber do que o objeto se tratava.

Um de seus amigos, um "veterano" da área, teve então uma ideia: "Talvez você tenha encontrado aquela bomba nuclear que perderam aqui nos anos 50!"

Segredos da Guerra Fria

A história da arma nuclear perdida tem atormentado historiadores militares por mais de meio século.

Em 1950, o bombardeiro americano B-36 caiu perto da Colúmbia Britânica quando rumava para uma base da força aérea no Texas.

O avião estava em uma missão secreta para simular um ataque nuclear e carregava uma bomba nuclear Mark 4 a bordo para ver se poderia suportar a carga necessária.

Várias horas depois do início do voo, os motores pegaram fogo e a tripulação teve pular de pára-quedas para se salvar. Dos 17 tripulantes, cinco morreram.

As forças armadas americanas argumentaram que a bomba estava cheia de chumbo e TNT, mas não de plutônio - e por isso felizmente não foi capaz de gerar uma explosão nuclear.

A tripulação colocou o avião no piloto automático e o viu cair no meio do oceano. Três anos mais tarde, seus destroços foram encontrados a centenas de quilômetros dali.

Dirk Septer, um historiador da aviação da Colúmbia Britânica, diz que o governo dos EUA procurou nos destroços, mas não conseguiu encontrar a arma.

"Foi um mistério para todos", disse Dirk Septer à BBC. "Foi o auge da Guerra Fria e eles estavam paranoicos, pensando que os russos iriam recuperá-la."

Integrantes da tripulação disseram que despejaram a bomba no oceano primeiro, temendo o estrago que a carga útil de TNT poderia fazer caso fosse detonada.

Um porta-voz do Departamento Canadense de Defesa Nacional disse à BBC que o órgão se reuniu com seus colegas americanos e que o objeto encontrado pelo mergulhador pode ser a bomba.

Os militares americanos não acreditam que a bomba esteja ativa ou seja uma ameaça para alguém, disse ele, mas o Canadá está enviando navios militares até o local para ter certeza.

Mas enquanto os militares e os mergulhadores acreditam que podem ter encontrado a bomba nuclear perdida, o historiador Septer diz que a localização do mergulhador não bate nem um pouco com a da queda do bombardeiro, dado o que se sabe sobre o acidente.

"Poderia ser qualquer coisa", disse Septer. "Independentemente do que ele encontrou, não é a arma nuclear."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos