PUBLICIDADE
Topo

Resgate na Tailândia: missão é cumprida com sucesso e todos são salvos de caverna

10/07/2018 06h18

Por meio de uma mensagem no Facebook, a Marinha tailandesa confirmou o resgate na Tailândia, nesta terça-feira, de todos os 12 meninos e o técnico de futebol que estavam presos em uma caverna no Norte do país.

"Não temos certeza se isso é um milagre, ciência ou o quê. Todos os treze Wild Boars (como é chamado o time do qual fazem parte) estão agora fora da caverna", diz a postagem.

Horas depois, as autoridades confirmaram também que quatro militares que haviam ficado para trás, entre eles um médico, haviam conseguido deixar a caverna com sucesso.

Os meninos e seu treinador haviam entrado na caverna no dia 23 de junho depois de um treino. Acabaram surpreendidos por fortes chuvas que inundaram o local e bloquearam a saída. Foram encontrados por mergulhadores na semana passada, após nove dias. Estavam famintos, mas sem ferimentos graves.

O resgate começou no último domingo. Até segunda-feira, oito integrantes do grupo haviam sido resgatados. De acordo com representantes do governo, eles estão em "bom estado de saúde físico e mental", mas ficarão em observação no hospital por pelo menos sete dias. Dois estão sendo tratados contra uma inflamação pulmonar.

Já os que continuavam presos recebiam cuidados e orientações de um médico e de mergulhadores da força de operações especiais da Marinha.

A última etapa do esforço para resgatá-los começou logo após as 10h da terça-feira no horário local (meia noite, no horário de Brasília), com 19 mergulhadores entrando na caverna.

Readaptação à vida fora da caverna

Autoridades sanitárias explicaram que nessa fase de readaptação fora da caverna, inicialmente eles receberam comidas instantâneas e géis energéticos, mas agora estão comendo alimentos fáceis de digerir. Alguns dos meninos também já viram seus pais - mas apenas através de um vidro para reduzir chances de eventual contaminação.

Resultados de exames complementares são esperados dentro de alguns dias e se todos os sinais de infecção tiverem desaparecido, a expectativa é que as famílias possam visitá-los. No entanto, terão de vestir roupas de proteção e de ficar a até 2 metros de distância.

Os meninos também têm de usar óculos escuros depois de terem ficado na escuridão da caverna por mais de duas semanas.

Segundo a equipe de resgate, a diminuição das chuvas e do nível da água - depois que foram drenados 128 milhões de litros do local - possibilitou adiantar os trabalhos. Segundo o líder da operação, o nível de água no interior da caverna é o mais baixo registrado até agora.

No total, 90 mergulhadores participaram da operação de resgate - 40 tailandeses e 50 estrangeiros. A missão era considerada de alto risco.

Desde que se ficou sabendo do desaparecimento de 12 adolescentes e seu treinador, o povoado mais próximo da caverna, Maesai, ficou muito unido.

Voluntários têm se oferecido para ajudar com alimentos e apoio psicológico às famílias dos jovens, além de terem arrecadado dinheiro para ajudar os parentes que precisaram se ausentar do trabalho para acompanhar as operações.

Quem são os garotos e o treinador que ficaram presos na caverna?

Os garotos fazem parte do time de futebol Wild Boars e têm entre 11 e 17 anos. Acredita-se que eles foram para a caverna no dia 23 de junho, após um treino, para comemorar o aniversário de um dos colegas. Teriam levado apenas alimentos básicos e acabaram presos por causa da inundação.

  • Chanin Vibulrungruang, 11 (Apelido: Titan) - começou a jogar futebol aos 7 anos de idade;
  • Panumas Sangdee, 13 (Apelido: Mig) - escreveu aos pais: "A Navy Seals (a força de operações especiais da Marinha) está cuidando bem de mim";
  • Duganpet Promtep, 13 (Apelido: Dom) - capitão do time de futebol. Estaria sendo sondado por vários clubes profissionais da Tailândia;
  • Somepong Jaiwong, 13 (Apelido: Pong) - sonha em jogar na seleção tailandesa;
  • Mongkol Booneiam, 13 (Apelido: Mark) - descrito pelo professor como "um bom garoto e muito respeitoso";
  • Nattawut Takamrong, 14 (Apelido: Tern) - disse aos pais que não se preocupem com ele;
  • Ekarat Wongsukchan, 14 (Apelido: Bew) - prometeu à mãe que a ajudaria uma vez que fosse resgatado;
  • Adul Sam-on, 14 - membro de uma equipe de vôlei classificada em segundo lugar em um torneio no norte da Tailândia;
  • Prajak Sutham, 15 (Apelido: Note) - descrito por amigos da família como um "rapaz inteligente e tranquilo";
  • Pipat Pho, 15 (Apelido: Nick) - pediu aos pais, na carta, que o levem para comer churrasco quando for resgatado;
  • Pornchai Kamluang, 16 (Apelido: Tee) - disse aos pais: "não se preocupem, eu estou muito feliz";
  • Peerapat Sompiangjai, 17 (Apelido: Night) - completava ano no dia em que o grupo entrou na caverna para comemorar e os pais dizem que o esperam agora para fazer sua festa de aniversário;
  • Treinador assistente Ekapol Chantawong (apelido: Ake), de 25 anos - em carta aos pais dos garotos, pediu desculpas pelo ocorrido, mas eles responderam que não o culpavam.