Alemanha elimina a Eslováquia com vitória contundente

Philip Verminnen

Sem enfrentar resistência, seleção alemã atropela eslovacos com gols de Jérôme Boateng, Mario Gómez e Julian Draxler - este último com excelente apresentação. Alemães aguardam agora o vencedor de Itália e Espanha.

Sem sofrer muita resistência e com um primeiro tempo avassalador, a Alemanha derrotou a Eslováquia por 3 a 0 neste domingo (26/06), em Lille, classificando-se para as quartas de final da Eurocopa 2016. Jérôme Boateng, Mario Gómez e Julian Draxler marcaram os gols da Nationalelf - os dois primeiros estabelecendo marcas pessoais - no que pode ser considerada a primeira apresentação convincente de uma seleção neste torneio.

O duelo Alemanha e Eslováquia, ao menos parcialmente, tem história e tradição. Antes de seu desmembramento, a Tchecoslováquia conquistou a Eurocopa de 1976, nos pênaltis, justamente contra a então Alemanha Ocidental. Nos 120 minutos, a partida terminou empatada em 2 a 2, e os autores dos gols da seleção campeã, Ján Svehlík e Karol Dubias, eram eslovacos.

Nos pênaltis, Uli Hoeness, ex-presidente do Bayern de Munique recentemente preso por crimes fiscais, foi o vilão daquela partida, desperdiçando a única cobrança. Do outro lado, autor do pênalti decisivo, estava um certo Antonín Panenka: na Europa, cobranças de pênaltis com cavadinha, como Zinédine Zidane fez na final da Copa do Mundo de 2006, são chamadas de Panenka.

Mas, no confronto deste domingo, os eslovacos não ofereceram resistência e foram facilmente dominados pela Alemanha. Claramente a proposta de jogo da Eslováquia era a de congestionar o meio-campo com um posicionamento compacto. Mas o plano eslovaco desmoronou logo aos sete minutos. Toni Kroos cobrou escanteio, a defesa eslovaca tirou da área, mas, no rebote, Jérôme Boateng acertou um sem-pulo no canto esquerdo do goleiro Matús Kozácik.

Um marco para o zagueiro alemão, que era dúvida para a partida devido a dores na panturrilha. Ele marcou seu primeiro gol em 63 jogos pela Nationalelf. Além disso, o gol de Boateng é o mais rápido da Alemanha em toda a história da Eurocopa.

A Eslováquia sentiu o golpe, e os alemães poderiam ter ampliado o marcador cinco minutos. Martin Skrtel derrubou Mario Gómez na área: o árbitro polonês Szymon Marciniak assinalou pênalti. Mesut Özil, no entanto, cobrou a meia altura, perfeita para a defesa de Kozácik. A Alemanha cobrou 17 pênaltis em Copas do Mundo e Eurocopas. Perdeu apenas três: além deste de Özil, Uli Hoeness, no Mundial de 1974, e Lukas Podolski, na Copa de 2010.

Com o início mais avassalador de qualquer seleção nesta Eurocopa, a Alemanha poderia estar vencendo por uma larga vantagem já com 30 minutos de bola rolando. A Eslováquia não produzia nada ofensivamente e não era efetiva na marcação, permitindo várias finalizações de curta e média distância: Özil, Julian Draxler, Thomas Müller e até Sami Khedira tiveram boas oportunidades.

Assim, o primeiro tempo foi completamente dominado pela Nationalelf: finalizações (14 a 2), escanteios (2 a 1), roubadas de bola (24 a 16) e 65% de posse de bola. Porém, a única finalização da Eslováquia quase resultou no empate, aos 41 minutos. Manuel Neuer teve de se esticar para espalmar a cabeçada de Juraj Kucka.

A resposta alemã veio dois minutos depois. Draxler, que fazia uma bela partida, fez fila na ponta esquerda e cruzou, na medida, para Mario Gómez anotar seu segundo gol no torneio. Gómez se tornou o maior goleador alemão em Eurocopas, com cinco gols, ao lado de Jürgen Klinsmann. No intervalo, a vantagem era mais do que confortável para a única seleção que ainda não sofreu gols nesta Eurocopa.

Na segunda etapa, a Alemanha tirou o pé do acelerador. Os eslovacos chegaram a incomodar mais a meta defendida por Neuer, mas nada que colocasse a classificação alemã em perigo. Aos 18 minutos, Draxler acertou um voleio dentro da pequena área para coroar sua excelente apresentação e ampliar o marcador.

A Alemanha enfrentará um adversário de maior renome nas quartas de final, em 2 de julho, em Bordeaux: Itália ou Espanha. Os italianos eliminaram a Alemanha na última Eurocopa, em 2012, enquanto os espanhóis eliminaram os alemães na semifinal da Copa do Mundo de 2010, além de conquistar o título europeu, em 2008, com uma vitória de 1 a 0 contra a Nationalelf.

Ficha técnica

Alemanha 3 x 0 Eslováquia

Local: Stade Pierre Mauroy, em Lille

Arbitragem: Szymon Marciniak (Polônia), auxiliado por seus compatriotas Pawel Sokolnicki e Tomasz Listkiewicz.

Gols: Jérôme Boateng (7'/1T), Mario Gómez (42'/1T) e Julian Draxler (18'/2T)

Cartões amarelos: Martin Skrtel (12'/1T), Joshua Kimmich (1'/2T), Mats Hummels (22'/2T), Juraj Kucka (46'/2T)

Alemanha: Manuel Neuer; Joshua Kimmich, Jérôme Boateng (Benedikt Höwedes 27'/2T), Mats Hummels e Jonas Hector; Sami Khedira (Bastian Schweinsteiger 31'/2T) e Toni Kroos; Mesut Özil, Thomas Müller e Julian Draxler (Lukas Podolski 27'/2T); Mario Gómez. Técnico: Joachim Löw.

Eslováquia: Matús Kozácik; Peter Pekarík, Martin Skrtel, Ján Durica, Norbert Gyömber (Kornel Saláta 39'/2T); Milan Skriniar, Patrik Hrosovsky, Marek Hamsik, Juraj Kucka e Vladimír Weiss (Ján Gregus 1'/2T); Michal Duris (Stanislav Sestak 19'/2T). Técnico: Ján Kozák.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos