PUBLICIDADE
Topo

Polícia britânica prende oito por suposta ligação com ataque

23/03/2017 06h53

Buscas são realizadas em Londres, Birmingham e outras regiões do Reino Unido. Autoridades acreditam que agressor tenha agido sozinho e trabalham com hipóteses de conexão com terrorismo islâmico.Oito pessoas foram presas no Reino Unido por suspeitas de conexão com o ataque nos arredores do Parlamento britânico, informou nesta quinta-feira (23/03) a Polícia Metropolitana de Londres (Met). As autoridades afirmaram não haver evidências que apontem para "novas ameaças terroristas".Em um pronunciamento em frente à sede da Scotland Yard, o chefe da unidade antiterrorista da polícia londrina, Mark Rowley, disse que a operação envolveu buscas em seis endereços de Londres, Birmingham e outras regiões do Reino Unido. A polícia disse acreditar que o autor do ataque tenha agido sozinho, "inspirado pelo terrorismo internacional". Rowley também aproveitou o pronunciamento para revisar o número de vítimas para três, ao invés dos quatro divulgados anteriormente, incluindo o policial esfaqueado.O secretário da Defesa britânico, Michael Fallon, disse à rádio BBC que a polícia trabalha com a hipótese de que o incidente teve ligação com o "terrorismo islâmico de alguma forma".O ataqueNesta quarta-feira, um veículo avançou contra pedestres na ponte Westminster, nas proximidades do Big Ben, matando pelo menos duas pessoas e deixando cerca de 40 feridos. Momentos depois, o motorista desceu do veículo e esfaqueou um policial, que também morreu, antes de ele mesmo ser baleado e morto por policiais.Ainda não houve reivindicação de autoria. Os investigadores acreditam que já identificaram o autor do ataque, mas a polícia não fornecerá mais detalhes por enquanto, afirmou Rowley.Diversos turistas estrangeiros que estavam em passagem por um dos maiores marcos da capital britânica foram alvos do ataque. Cinco turistas sul-coreanos ficaram feridos, além de dois romenos, um português e três franceses. Uma mulher foi socorrida após cair no rio Tâmisa.Das 29 pessoas que foram hospitalizadas, sete estão em estado crítico. O episódio de quarta-feira é o mais sangrento ataque na capital inglesa desde 2005, quando quatro homens-bomba inspirados pela Al Qaeda atacaram o sistema de transporte londrino, deixando 52 mortos. No ano passado, a parlamentar Jo Cox foi assassinada por um agressor neonazista.IP/efe/afp/ap