China e Rússia assinam acordos e prometem reforçar cooperação

Pequim, 25 jun (EFE).- O presidente da China, Xi Jinping, e o da Rússia, Vladimir Putin, reafirmaram neste sábado seu compromisso de impulsionar a relação bilateral e presidiram a assinatura de 30 acordos de cooperação.

Os acordos abrangem setores como finanças, comunicações, energia, transporte, aeronáutica e cultura, e com eles ambos os governos tentam mostrar a força da relação entre Moscou e Pequim.

Putin, que faz a quarta visita oficial à China nos três anos desde a chegada de Xi ao poder, destacou em declaração conjunta à imprensa o elevado nível da cooperação econômica bilateral.

Com a economia russa muito afetada pela queda do preço do petróleo e do gás, assim como pelas sanções do Ocidente pelo conflito ucraniano, Putin se esforçou em ressaltar a proximidade com a China.

O governante russo afirmou que as posturas de Moscou e Pequim em relação às principais questões e conflitos internacionais "são muito próximas ou praticamente coincidem".

Xi ressaltou que ambos os países coincidem em "resolver as disputas internacionais e regionais "através do diálogo e da negociação em vez das armas ou ameaças, assim como com as sanções ou a ameaça de sanções".

Ambos discutiram sobre a construção de infraestruturas de transporte que melhorem as comunicações entre os dois países e também com as repúblicas ex-soviéticas da Ásia Central, uma região de forte influência política russa e crescente presença econômica chinesa.

Putin e Xi decidiram pactuar antes do fim do ano um projeto para construir uma ferrovia de alta velocidade entre Pequim e a cidade russa de Kazan, onde se conectaria com a linha que a Rússia está construindo rumo a Moscou.

O presidente russo informou que ambos os países estão traçando uma nova estrada entre Europa e Ásia, "uma via transeurasiática para melhorar as comunicações em todo este enorme continente".

Os governantes também decidiram aumentar o uso das divisas de ambos os países nos pagamentos no comércio exterior "para reduzir a dependência da conjuntura exterior", afirmou Putin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos