Presidente do Conselho Europeu propõe nova cúpula sobre futuro da UE

Bruxelas, 28 jun (EFE).- O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, vai propor aos chefes de Estado e de governo da União Europeia (UE) a realização de uma segunda cúpula dos 27 países-membros em setembro, provavelmente em Bratislava, na Eslováquia, para falar sobre o futuro do projeto europeu após a saída do Reino Unido do bloco comunitário.

Tusk anunciou a convocação da cúpula em sua chegada à reunião de líderes que acontece hoje em Bruxelas, e comentou que "a Europa está pronta para iniciar o processo de divórcio, inclusive hoje", mas reconheceu que o mesmo será feito "sem entusiasmo".

"Embora respeitemos a vontade do voto britânico, também temos que respeitar nossos tratados. Segundo eles, é o governo britânico quem inicia o processo de saída da União Europeia", lembrou Tusk.

O presidente do Conselho Europeu insistiu que "esta é a única via legal" e acrescentou que "todo o mundo deveria ter consciência deste fato, o que significa que também temos que ser pacientes".

"A Europa está pronta para começar o processo de divórcio, inclusive hoje, sem qualquer entusiasmo, como vocês podem imaginar", afirmou Tusk, pois "este não é o cenário com o qual sonhávamos", acrescentou.

O presidente do Conselho Europeu indicou que amanhã, quarta-feira, no segundo dia da cúpula, acontecerá uma reunião dos 27 Estados-membros da UE sem o Reino Unido, onde haverá uma discussão informal, dentro da "reflexão profunda" sobre o "novo impulso" que a Europa necessita após o resultado do referendo britânico.

Nesse contexto, Tusk disse que vai propor amanhã uma nova reunião informal com os 27 líderes europeus em setembro e adiantou que a mesma acontecerá provavelmente em Bratislava, já que no próximo semestre a Eslováquia exercerá a presidência rotativa do Conselho da UE.

Por outro lado, Tusk lembrou que sem a notificação por parte do Reino Unido sobre sua saída da União Europeia "não começarão as negociações sobre o processo de divórcio, nem sobre as futuras relações" entre as partes.

O presidente do Conselho admitiu ter sentido tristeza no dia seguinte ao referendo britânico e opinou que a saída do Reino Unido da UE "não se trata apenas de procedimentos, políticas e interesses, mas também de sentimentos e emoções".

Tusk admitiu, no entanto, que o bloco deve "seguir em frente", uma vez que o passo já foi dado.

O presidente do Conselho Europeu indicou que também serão tratados outros assuntos além do "Brexit" na cúpula que começa hoje, como a crise migratória e a cooperação com a Otan. Além disso, a chanceler alemã, Angela Merkel, informará aos líderes sobre a aplicação dos acordos de Minsk na Ucrânia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos