Mineiros denunciam 3ª morte em novos confrontos com a polícia na Bolívia

La Paz, 25 ago (EFE).- Um mineiro se transformou nesta quinta-feira no terceiro morto registrado nos enfrentamentos entre manifestantes que bloqueiam estradas na Bolívia e a polícia, denunciou um dos dirigentes das cooperativas de mineradores.

Um dirigente da Cooperativa San Pedro, do distrito de Viloco, no oeste do país, disse à rádio "Erbol" que um de seus companheiros, de 26 anos, morreu após ser ferido por disparos durante os confrontos com policiais que tentavam desbloquear uma estrada.

O líder da cooperativa, que não foi identificado, disse que a vítima é Ruben Aparaya Pillco, trabalhador da mina Viloco.

Os enfrentamentos aconteceram na região de Panduro, a 180 quilômetros de La Paz.

As autoridades ainda não se pronunciaram sobre a denúncia dessa nova morte, que seria a terceira desde a quarta-feira.

A procuradoria da região de Cochabamba, no centro do país, recebeu hoje o corpo de Severino Ichota, de 45 anos, o segundo mineiro morto na quarta-feira nos confrontos perto da cidade de Kami.

Os familiares de Ichota levaram seu corpo a um centro de medicina legal na cidade de Cochabamba depois que o ministro de governo (Interior), Carlos Romero, tinha dito mais cedo que não havia certeza sobre a sua morte.

Na região de Sayari, também em Cochabamba, os mineiros velaram hoje em uma estrada o corpo da primeira vítima mortal dos enfrentamentos, Fermín Mamani, segundo constatou a Agência Efe.

Os mineiros bloqueiam as estradas do centro e do oeste da Bolívia há três dias para rejeitar uma lei promulgada pelo presidente Evo Morales que permite a criação de sindicatos nas cooperativas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos