Cristina Kirchner: "Consumou-se no Brasil o golpe institucional"

Buenos Aires, 31 ago (EFE).- A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner classificou o impeachment de Dilma Rousseff como a consumação de um "golpe institucional" e uma "nova forma de violentar a soberania popular".

"A América do Sul outra vez é laboratório da direita mais extrema. Nosso coração junto com o povo brasileiro, Dilma, Lula (da Silva) e os companheiros do PT (Partido dos Trabalhadores)", escreveu Cristina em sua conta no Twitter.

O Senado aprovou hoje o impeachment de Dilma Rousseff da presidência da República, por 61 votos a favor e 12 contra, por considerá-la culpada de infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal por ter editado três decretos de créditos suplementares sem autorização do Congresso e pelas chamadas "pedaladas fiscais" ao atrasar pagamentos ao Banco do Brasil por subsídios agrícolas a produtores referentes ao Plano Safra.

"Consumou-se no Brasil o golpe institucional: Nova forma de violentar a soberania popular", opinou Cristina Kirchner.

Na segunda-feira, também através da internet, a ex-presidente argentina, sucedida no poder pelo conservador Mauricio Macri em dezembro do ano passado e que atualmente é acusada em várias causas judiciais, comparou sua situação - ela se diz vítima de uma perseguição política, judicial e midiática - com o impeachment no Brasil.

"Qualquer coincidência com o que aconteceu e está acontecendo em nosso país não é casualidade. É estratégia dura e pura, sobre a região, contra os governos nacionais, populares e democráticos e sobre seus lideres políticos", acusou a viúva do também ex-presidente Néstor Kirchner.

Cristina divulgou estas considerações junto com uma carta que lhe foi enviada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assinada em São Paulo na última sexta-feira, na qual lhe informava sobre a "gravíssima situação política e institucional" vivida pelo Brasil. EFE

rgm/id

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos