Trump elogia Damas de Branco e acusa Hillary de não ver abusos em Cuba

Em Miami

  • Evan Vucci/AP

    O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, tira foto com funcionários do partido em Miami, na Flórida

    O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, tira foto com funcionários do partido em Miami, na Flórida

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, se reuniu em Miami com cubanos anticastristas, elogiou o grupo Damas de Branco e acusou a rival democrata, Hillary Clinton, de "fechar os olhos" diante das violações dos direitos humanos em Cuba.

"Quero reconhecer com orgulho a resistência cubana e as Damas de Branco, mães, filhas e esposas submetidas a abuso físico e verbal pelo governo cubano", disse Trump em visita realizada à sede da Brigada 2506, no bairro da Pequena Havana.

O magnata nova-iorquino se reuniu no museu e biblioteca da Associação de Veteranos de Baía dos Porcos (Brigada 2506) com exilados antiscastristas que participaram da fracassada invasão de Baía dos Porcos (Cuba), em 1961.

Os sobreviventes daquela operação concebida pela CIA (agência de inteligência americana) manifestaram recentemente apoio a Trump, na primeira vez em 55 anos que a Brigada 2506 expressa respaldo a um candidato à presidência dos EUA.

Na reunião, na qual se dirigiu cerca de 80 pessoas, Trump classificou os brigadistas cubanos de "verdadeiros lutadores pela liberdade" comprometidos com a defesa dos valores de "direito e justiça".

Al Diaz/Miami Herald via AP
Donald Trump fala à Associação de Veteranos da Baía dos Porcos, em Miami


O republicano agradeceu à Brigada 2506 pelo apoio manifestado, algo que, segundo ele, "significa muito" por ser a primeira vez que a associação mostra respaldo a um candidato à Casa Branca.

Após dizer que os veteranos exilados anticastristas "lutam pelos valores da liberdade", Trump criticou Hillary Clinton por "fechar os olhos diante da violação dos direitos humanos em Cuba".

De acordo com Donald Trump, o atual presidente americano, Barack Obama, "não fez um bom acordo" com Cuba e Hillary "faria igual ou inclusive pior" se ganhar as eleições.

Nesse contexto, o magnata focou suas críticas na corrupção que afeta os governos, um "perigo quando os funcionários de alta categoria estão acima da lei", segundo disse.

"Esta eleição é sobre a corrupção", comentou Trump, ao novamente acusar Hillary Clinton de desonestidade e de cometer crimes "como nunca se viu na história" do país.

Humberto Díaz-Argüelles, presidente da Brigada 2506, explicou à Agência Efe que seu apoio a Trump se baseia na falta de atenção prestada à sua organização por Obama.

"Em meus 50 anos de história nos Estados Unidos, os candidatos presidenciais sempre vieram nos ver para saber nossas opiniões (sobre o tema cubano), disse, para lamentar que "Obama jamais se apresentou aqui" e "estabeleceu relações com Cuba em troca de nada".

Jorge García Rubio, ex-vice-presidente desta unidade de veteranos, afirmou que o apoio da Brigada 2506 a Trump avalia seu perfil "conservador, de um homem de negócios que triunfou e vai eliminar a corrupção e a politicagem".

Trump continua nesta terça-feira a maratona de três dias para ganhar o Estado-chave da Flórida, uma peça sempre essencial para as esperanças de qualquer candidato republicano à Casa Branca, especialmente nas eleições deste ano.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos