Confrontos entre polícia e milícia separatista deixam 55 mortos em Uganda

Nairóbi, 27 nov (EFE).- Os confrontos ocorridos nos últimos dias entre policiais e milícias separatistas que apoiam o rei de Rwenzururu deixaram ao menos 55 mortos em Uganda, informou a polícia neste domingo.

Desde a quinta-feira são registrados confrontos na cidade de Kasese, sob controle do rei Charles Wesley Mumbere, depois que um grupo de homens armados, supostamente membros da guarda real, atacaram uma delegacia.

O porta-voz da Polícia, Félix Kaweesi, explicou à imprensa local que 14 agentes e 41 integrantes das milícias de Rwenzururu morreram nestes choques registrados muito perto da fronteira com a República Democrática do Congo.

"Achamos que estes ataques têm um motivo político e detivemos 15 líderes", disse o porta-voz policial, que afirmou que o objetivo dos agressores pode ser conseguir a independência de Uganda.

Em 2009, o presidente ugandense, Yoweri Museveni, reconheceu oficialmente o reino de Rwenzururu, status que não concede nenhum poder executivo, mas permite aos monarcas decidirem assuntos culturais e sociais que afetam seu povo.

No entanto, as tensões continuaram nos últimos anos e os confrontos com as forças de segurança ugandenses são constantes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos