Rússia e Cazaquistão assinam novo acordo de cooperação sobre base de Baikonur

Moscou, 26 dez (EFE).- Rússia e Cazaquistão assinaram nesta segunda-feira um novo acordo de cooperação sobre a base de Baikonur, situada no país centro-asiático e usada para 70% dos lançamentos do programa espacial civil e militar russo.

O documento foi assinado pelo vice-primeiro-ministro russo, Dmitri Rogozin, e seu colega cazaque, Askar Mamin, na presença dos presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev.

Os dois países também formalizaram um protocolo sobre a modificação do status da cidade de Baikonur e o regime de formação de seu legislativo municipal.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, explicou à imprensa que os dois documentos "regulamentam a cooperação (bilateral) no complexo de Baikonur", que inclui a base e a cidade homônima de mais de 76 mil habitantes.

"Agora trabalhamos sobre um novo roteiro" para a cooperação russa-cazaque no âmbito espacial "para (os próximos) oito anos, até 2025", disse Nazarbayev em sua reunião bilateral com Putin, realizada em São Petersburgo no marco da cúpula da União Econômica Euroasiática, da qual fazem parte ambos países.

O presidente cazaque aproveitou o encontro com Putin para expressar as condolências pela morte de 92 pessoas a bordo de um avião militar Tu-154 que caiu ontem nas águas do Mar Negro minutos após decolar desde o aeroporto de Sochi rumo à Síria.

Também lamentou a morte do embaixador russo em Ancara, Andrei Karlov, assassinado há uma semana por um policial turco quando inaugurava uma exposição fotográfica na capital turca.

"Infelizmente, hoje tenho que falar de fatos trágicos que envolvem a Rússia: a morte do embaixador e o acidente do avião. Mas quero expressar o mais sentido pêsame da minha parte e em nome do povo do Cazaquistão a todo o povo da Rússia", disse Nazarbayev.

Trata-se de "uma grande tragédia que comove a todos", acrescentou o líder cazaque.

Em outra ordem de assuntos, Nazarbayev confirmou que a capital de seu país, Astana, está disposta a receber um novo formato de negociações de paz para a Síria, como propôs Putin, sem que isso seja um obstáculo para o processo de Genebra patrocinado pela ONU.

"O Cazaquistão está disposto a receber todas as partes para as negociações em Astana. Ontem falamos com o senhor, com (o presidente turco, Recep Tayyip) Erdogan, e (o líder iraniano, Hassan) Rohani. Todos estão de acordo. Criaremos todas as condições para que trabalhem, para que se reúnam", apontou.

Pouco antes, Peskov precisou que ainda "não há nada concreto" que se possa dizer sobre a proposta de Putin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos