Justiça argentina investiga pagamentos de financeira à empresa dos Kirchner

Buenos Aires, 22 fev (EFE).- A Justiça da Argentina está investigando os pagamentos supostamente realizados por uma financeira declarada inativa pela Inspeção Geral de Justiça (IGJ) à sociedade imobiliária Los Sauces, cujos principais acionistas são a ex-presidente Cristina Kirchner e seus filhos.

A Los Sauces é alvo de uma ampla investigação liderada pelo juiz Claudio Bonadio, que recentemente intimou a depor na condição de acusados a ex-presidente, por suspeitas de lavagem de dinheiro e pagamento de propinas, e seus filhos Máximo e Florencia Kirchner.

Segundo confirmaram à Agência Efe fontes jurídicas, estão sendo investigados agora os supostos pagamentos de até 2,3 milhões de pesos argentinos (US$ 147.500) que a Los Sauces recebeu entre 2009 e 2011 da companhia de serviços financeiros Solvencia Crediticia, declarada inativa em 2015 pela IGJ depois que o órgão citado não detectou movimentos nos últimos anos.

Segundo o jornal "La Nación", pelo menos nos três períodos prévios, essa financeira não tinha apresentado balanços, não pagou as taxas correspondentes, nem tinha declarado seu diretório, nem sua sede.

A investigação tenta elucidar qual foi a origem dos fundos que a Solvencia usou para pagar aluguéis firmados com a Los Sauces, se a empresa está inativa.

No dia 3 de fevereiro, Bonadio intimou, além de Cristina, que terá que se apresentar ao tribunal no dia 7 de março, seus filhos Máximo e Florencia Kirchner, e os empresários ligados ao kirchnerismo e vencedores de licitações junto ao Estado, Cristóbal López e Lázaro Báez, este último já detido como acusado em outra causa por lavagem de ativos.

O caso surgiu em abril de 2016 após uma denúncia da deputada de centro-esquerda Margarita Stolbizer contra a viúva do também ex-presidente Néstor Kirchner e seus filhos.

A legisladora os acusou de falsificar documentos públicos, pagamento de propina e lavagem de dinheiro relacionados com supostas transações ilícitas com López e Báez.

Nesse sentido, Stolbizer acredita que os Kirchner teriam utilizado a Los Sauces, dedicada ao aluguel de imóveis e formada em 2006 por Cristina, Néstor e Máximo, para receber, mediante arrendamentos dessas propriedades, transferências milionárias de parte desses empresários, que teriam recebido previamente a concessão de contratos de obras superfaturados.

O promotor Carlos Rívolo aceitou a denúncia de Stolbizer e pediu que a ex-presidente fosse investigada na condição de acusada, por isso o juiz decidiu convocá-la. Assim que ouvir seu depoimento, o magistrado decidirá se abrirá um processo criminal contra ela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos