Trump diz que alertou Tillerson de que sua visita ao México seria "difícil"

Washington, 23 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira que alertou seu secretário de Estado, Rex Tillerson, de que sua viagem ao México seria "difícil" porque é preciso que os americanos sejam "tratados com justiça" pela nação vizinha.

Tillerson está atualmente na capital mexicana e Trump disse "que esta seria uma viagem difícil" porque os americanos têm que "ser tratados com justiça pelo México", ao conversar com os jornalistas no início de uma reunião na Casa Branca com executivos de mais de 20 grandes companhias do setor industrial.

Além disso, Trump insistiu novamente que o déficit comercial dos EUA com o México é de US$ 70 bilhões anuais, algo "insustentável" e que "não inclui as drogas que fluem como água através da fronteira".

"Não vamos deixar que isso aconteça. Não posso deixar que isso aconteça. Vamos ter uma boa relação com o México, eu espero. E se não tivermos, não teremos", ressaltou o presidente americano.

Trump também falou de seu secretário de Segurança Nacional, John Kelly, que acompanha Tillerson em sua viagem ao México. Para o presidente, Kelly está sendo "incrível na fronteira" porque, "pela primeira vez", está tirando criminosos dos EUA, narcotraficantes e "pessoas muito ruins", e num ritmo "que ninguém tinha visto antes".

"É uma operação militar", enfatizou Trump em seguida.

Tillerson e Kelly chegaram ontem ao México e o presidente Enrique Peña Nieto os receberá hoje dependendo dos resultados das reuniões que eles vão manter com seus equivalentes mexicanos.

As relações bilaterais pioraram já durante a campanha eleitoral nos EUA e se complicaram ainda mais após a ordem de Trump de construir um muro na fronteira comum e sua insistência de que o México é quem deverá pagar a conta.

Peña Nieto cancelou uma visita que tinha previsto fazer a Washington no final de janeiro, mas, desde então, houve contatos entre ambos os governos para evitar que as tensões consumam totalmente a relação bilateral.

Por outro lado, Trump também quer renegociar o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês), vigente entre EUA, Canadá e México desde 1994, e ao qual o magnata responsabiliza pela perda de empregos e pelo fechamento de fábricas em território americano.

Antes da viagem de Tillerson e Kelly ao México, o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, declarou ontem que a relação com o país vizinho é "muito saudável e robusta".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos